‘La garantia Soy Yo’ ou Mantenha Distância dos Despachantes de Ilusão

p

Entrou para o anedotário do mercado fonográfico a história de um certo divulgador de rádios que no auge da empolgação, na maior calma e tranqüilidade, declarou em alto e bom som para um mega cantor sertanejo a fatídica frase: “ – Amigo, ‘cola nimim’ porque você vai se dar bem!” e só para registro, o cantor à época vivia o sucesso máximo de sua carreira vendendo milhões de CDs e muitas músicas estouradas nas rádios em todo o Brasil.

Esta história verídica me fez pensar como temos pessoas no mundinho gospel sem a menor noção do que estão falando ou fazendo. Tenho visto e me deparado com tantos ‘entendidos’, ‘consultores’ e ‘assessores’ sem qualquer base, expertise ou ética neste ambiente que muitas das vezes sinto um misto de compaixão com revolta. Na verdade, sinto pena de algumas pessoas que são ludibriadas por pessoas de bom papo e escrúpulos zero. E em contrapartida, sinto asco e revolta por ver como estes ‘vendedores de ilusão’ vão seguindo seus caminhos sem a menor cerimônia de causar estragos por onde passam.

Recentemente conheci um empresário muito bem situado financeiramente que me procurou para que eu analisasse um CD de um determinado cantor. Como sempre faço, fui o mais transparente possível na minha análise e apresentei diversos argumentos para expor minha opinião de que igual aquele trabalho, eu deveria ter pelo menos outros 50 em minha estante. Aí ele não se satisfez com minha negativa e à queima-roupa me disse que teria uma boa verba para investir em mídia naquele projeto.

A conversa foi se desenrolando e eu seguia com minhas perguntas para tentar decifrar até onde ia aquela história. Quando já me dei por satisfeito, perguntei ao empresário o real motivo dele querer investir naquele artista contra tantas negativas minhas. A resposta sincera foi de que aquele artista era o pastor dele e como ovelha ele queria de alguma forma agradá-lo, honrá-lo, dar uma motivação extra à carreira ministerial.

O mais impressionante nesta história ainda estava por vir. Este artista-pastor de alguma maneira psicológica ‘forçava’ a ajuda do tal empresário. De forma bastante intensa aquele artista-pastor não poupava sua ovelha-empresário em investir num projeto completamente fadado ao insucesso! Com muita calma e tato fui mostrando ao empresário de que ele deveria investir em outros projetos bem mais viáveis e interessantes. Felizmente ele entendeu e se livrou de perder uns 150 mil reais de brincadeira!

Há quase 2 anos atrás fui convidado para conversar com um jovem pastor-cantor-filho-de-empresário-cheio-de-dinheiro que estava lançando um CD. Naquele momento o rapaz estava na fase de fazer os investimentos em mídia e agenda. Infelizmente o pastor-cantor-filho-de-empresário-cheio-de-dinheiro já havia sido encontrado pela ave de rapina, o autêntico “consultor de mídia”. Naquele momento o pastor-cantor-filho-de-empresário-cheio-de-dinheiro me dizia que sua música estava sendo executada em várias rádios pelo país. Se não me engano, ele já mantinha contato com rádios em Recife, Belém, Belo Horizonte, São Paulo, Rio de Janeiro, Manaus, Brasília e Goiânia. Até aquele momento de nossa conversa já haviam sido investidos recursos da ordem de 50 mil reais.

Mas a ‘farra do boi’ não acabava nos investimentos de rádios. Outras despesas foram feitas para a participação do artista abrindo shows de medalhões do mundinho gospel, além de anúncios em revistas e jornais. No fim da conta, algo em torno de 100 mil reais já havia sido investido naquele momento de início de trabalho. Expus minha opinião contrária a todos aqueles investimentos, mas no afã de se tornar um sucesso, o pastor-cantor-filho-de-empresário-cheio-de-dinheiro achou por bem seguir na estratégia apresentada pelo “consultor”. Saí daquele jantar com a nítida impressão de que em pouquíssimo tempo teríamos mais um cantor frustrado e um pai-empresário sem um bom capital nos bolsos!

Tempos depois soube que o pastor-cantor-filho-de-empresário-cheio-de-dinheiro havia torrado perto de 300 mil reais. E o resultado? Conforme previsto por mim, não deu em nada além de uma conta corrente com recursos que evaporaram em pouco tempo!

O terceiro case aconteceu recentemente e segue a mesma linha das histórias anteriores. Personagem #1: Artista buscando espaço e sucesso no meio. Personagem#2: Patrocinador bem intencionado. Personagem#3: Aproveitador sem escrúpulos. Esta terceira e última história refere-se a uma simpática e carismática agenciadora de artistas em início de carreira. A falante Personagem#3 encontrou-me durante a ExpoCristã e com uma interessante simpatia falou-me de todos os seus contatos em prefeituras, igrejas e promotores de eventos pelo país. Com uma eloqüência impressionante, a jovem gordinha foi contando suas histórias e, confesso, chamou a minha atenção com toda sua desenvoltura.

Geralmente a Expo Cristã é o ponto de encontro dos artistas do mundinho gospel. Ali encontramos do medalhão pop star ao cantor independente buscando um lugar ao Sol. E voltando à Personagem#3, não há melhor ambiente do que a Expo Cristã para ali cativar artistas incautos buscando um apoio, uma consultoria de qualidade. Já durante o evento, vários artistas vieram comentar comigo de que a Personagem#3 passaria a cuidar de suas respectivas agendas.

Passadas algumas semanas, vários artistas comentaram comigo que estavam se decepcionando com a Personagem#3. No pacote de atrocidades tinha de tudo um pouco. Começando por muita mentira, ágio no valor dos cachês, desorganização, atraso no repasse e mesmo apropriação indevida de cachês. Encurtando a história, muitos artistas foram lesados por aquela figura horrenda! Agora mais recentemente descobri que a mesma pessoa começou a me procurar no twitter demonstrando uma intimidade inexistente. Como sempre procuro tratar bem todo mundo, fui receptivo às mensagens e tratei-a com toda atenção. A minha sorte e livramento é que um amigo, mais antenado e observando minha troca de mensagens, alertou-me de quem na verdade se tratava aquela pessoa. Ufa! Que livramento!

Na mesma hora bloqueei a dita cuja e fiz questão de alertar outros amigos sobre a Personagem#3 e sua ‘ficha corrida’. O que me impressiona é a falta de vergonha e a compulsão em prejudicar pessoas inocentes, uma verdadeira estelionatária no mais literal sentido da palavra!

Poderia discorrer por muitos outros casos escabrosos como estes 3 que mencionei, mas vou parando por aqui. A intenção com este post é de que mesmo no meio “puritano” gospel, temos muitas pessoas de má índole que causam muito mal a outros. Se você é um artista iniciante, mesmo que possua recursos para investir, mesmo sendo um filho de Eike Batista, o mais correto é que o ‘radar de 171’ esteja ligado em máxima potência.

Infelizmente sei de muitos casos de pessoas que depois de ludibriadas chegaram até mesmo a perder a fé. Decepcionadas, amarguradas, traídas, tristes e até mesmo falidas, estas pessoas se afastaram do convívio da igreja. Minha intenção ao relatar estes fatos não é expor as feridas do mundinho gospel, mas justamente alertar as pessoas de que devemos preservar a qualidade dos relacionamentos em nosso meio e extirpar de uma vez por todas esses problemas que ainda gravitam em nossa órbita. Se você precisar de uma ajuda profissional, e eu sempre estimulo que os artistas devam buscar essa assessoria, apenas procure ser o mais seletivo e crítico possível. Observe atentamente todas as informações a respeito desse profissional através de outros artistas que tenham sido assessorados por ele. Não se impressione com uma agenda de contatos, com um papo animado ou com a aparente intimidade que esse assessor tenha com pessoas do meio. Seja o mais atento e perspicaz possível! No afã de conseguir seus objetivos, não deixe de observar todos os detalhes.

Mauricio Soares, jornalista, publicitário, palestrante, blogueiro, tuiteiro, brasileiro, mas nem um pouco pagodeiro. Vamos que vamos!

127 Comments

Deixe uma resposta