Home Mundo Musical

Nos últimos dias muito tem sido comentado no meio gospel tupiniquim sobre o cancelamento “por força maior” (o que é isso? força maior!?!?!?!?) da maior premiação da música gospel nacional, o Troféu Talento realizado desde 1985 pela Rede Aleluia. Mesmo marcado por discordâncias, torcidas contra e a favor de determinados artistas e de ter uma certa aura de dúvida sobre os critérios utilizados, a premiação constava do calendário do meio gospel e tornou-se (sua ausência) a grande decepção deste ano de 2010.
No site oficial do evento a escassez por notícias é tão grande como a falta de chuvas no Deserto do Atacama no Chile. Então para não deixarmos o ano de 2009 passar em branco em termos de premiação e reconhecimento aos artistas, designers, compositores, produtores e arranjadores que se esforçaram por apresentar projetos de qualidade, nós do Blog Observatório Cristão resolvemos criar uma simbólica premiação.
Em antítese ao Troféu Talento que de tão lento ficou parado, pensamos em chamar nossa premiação de Troféu Tá Rápido, mas o nome não soava bem, então optamos pelo nome bem americanizado de Fast Awards … hummm … mas péraí … se é o Blog Observatório Cristão que irá ter esta hercúlea atribuição de coordenar a premiação e como nosso blog se apresenta como um canal didático abordando constantemente o marketing como uma importante ferramenta, como é que podemos não aproveitar esta oportunidade para consolidar ainda mais nossa marca no cenário? Assim sendo, o nome de nossa premiação será Observatório Awards 2010, gostaram? Hummm … ok, podemos pensar em algo melhor, mas por enquanto vamos com esse nome mesmo, ok?
Como este insight foi gerado hoje. Ainda não tivemos tempo para esmiuçar mais detalhes da premiação, mas o que já temos como base é o seguinte:
1) Estaremos premiando os artistas que mais se destacaram em 2009 no meio gospel entre janeiro e dezembro;
2) A primeira fase será livre e completamente democrática (onde isso vai parar?), ou seja, vamos aceitar indicações dos internautas em todas as categorias. Os artistas (5 a 10) mais indicados por categoria irão concorrer na fase final;
3) A fase final será decidida por “notáveis do meio gospel” … quem seriam estes? Anotem aí: o triunvirato do Blog Observatório Cristão e mais jornalistas especializados, produtores musicais, designers, artistas referência e mais um ou outro que não pensamos direito. Essa verdadeira Academia reunirá não mais do que 50 pessoas e terão o poder de decidir os vencedores de cada categoria;
4) Vamos incluir uma categoria Escolha do Público que irá reunir os 10 artistas mais citados em todas as categorias;
5) Teremos 3 tipos de categorias: Música, Web e Designer, Estilo Musical;
5.1) Música composta por: Música do Ano, Intérprete Masculino, Intérprete Feminino, Banda do Ano, Artista Revelação, Vídeo Clipe, Escolha do Público;
5.2) Web & Designer composta por: Material Gráfico CD/DVD, MySpace, Site Oficial, Personalidade Web,
5.3) Estilo Musical composta por: CD Pop, CD Adoração e Louvor, CD Rock, CD World Music e Miscelânea, CD Pentecostal/Sertanejo;
6) Nos próximos dias vamos explicar como iremos receber as indicações do público e demais informações;
7) Aceitamos sugestões, ajuda, oferecimentos … mas nada de marmelada, votos de cabresto e afins, ok?
Contamos com a sua ajuda! Tão logo esta megaultrapower premiação começar seu processo de seleção, envie seus candidatos e divulgue para todos seus contatos. Em breve todas as informações, aguardem!
Postado por Equipe Observatório Cristão

Observatório Awards 2010

Nos últimos dias muito tem sido comentado no meio gospel tupiniquim sobre o cancelamento “por força maior” (o que é isso? força maior!?!?!?!?) da maior premiação da música gospel nacional, o Troféu Talento realizado desde 1985 pela Rede Aleluia. Mesmo marcado por discordâncias, torcidas contra e a favor de determinados artistas e de ter uma certa aura de dúvida sobre os critérios utilizados, a premiação constava do calendário do meio gospel e tornou-se (sua ausência) a grande decepção deste ano de 2010.

No site oficial do evento a escassez por notícias é tão grande como a falta de chuvas no Deserto do Atacama no Chile. Então para não deixarmos o ano de 2009 passar em branco em termos de premiação e reconhecimento aos artistas, designers, compositores, produtores e arranjadores que se esforçaram por apresentar projetos de qualidade, nós do Blog Observatório Cristão resolvemos criar uma simbólica premiação.

Em antítese ao Troféu Talento que de tão lento ficou parado, pensamos em chamar nossa premiação de Troféu Tá Rápido, mas o nome não soava bem, então optamos pelo nome bem americanizado de Fast Awards … hummm … mas péraí … se é o Blog Observatório Cristão que irá ter esta hercúlea atribuição de coordenar a premiação e como nosso blog se apresenta como um canal didático abordando constantemente o marketing como uma importante ferramenta, como é que podemos não aproveitar esta oportunidade para consolidar ainda mais nossa marca no cenário? Assim sendo, o nome de nossa premiação será Observatório Awards 2010, gostaram? Hummm … ok, podemos pensar em algo melhor, mas por enquanto vamos com esse nome mesmo, ok?

Como este insight foi gerado hoje. Ainda não tivemos tempo para esmiuçar mais detalhes da premiação, mas o que já temos como base é o seguinte:

1) Estaremos premiando os artistas que mais se destacaram em 2009 no meio gospel entre janeiro e dezembro;

2) A primeira fase será livre e completamente democrática (onde isso vai parar?), ou seja, vamos aceitar indicações dos internautas em todas as categorias. Os artistas (5 a 10) mais indicados por categoria irão concorrer na fase final;

3) A fase final será decidida por “notáveis do meio gospel” … quem seriam estes? Anotem aí: o triunvirato do Blog Observatório Cristão e mais jornalistas especializados, produtores musicais, designers, artistas referência e mais um ou outro que não pensamos direito. Essa verdadeira Academia reunirá não mais do que 50 pessoas e terão o poder de decidir os vencedores de cada categoria;

4) Vamos incluir uma categoria Escolha do Público que irá reunir os 10 artistas mais citados em todas as categorias;

5) Teremos 3 tipos de categorias: Música, Web e Designer, Estilo Musical;

5.1) Música composta por: Música do Ano, Intérprete Masculino, Intérprete Feminino, Banda do Ano, Artista Revelação, Vídeo Clipe, Escolha do Público;

5.2) Web & Design composta por: Material Gráfico CD/DVD, MySpace, Site Oficial, Personalidade Web,

5.3) Estilo Musical composta por: CD Pop, CD Adoração e Louvor, CD Rock, CD World Music e Miscelânea, CD Pentecostal/Sertanejo;

6) Nos próximos dias vamos explicar como iremos receber as indicações do público e demais informações;

7) Aceitamos sugestões, ajuda, oferecimentos … mas nada de marmelada, votos de cabresto e afins, ok?

Contamos com a sua ajuda! Tão logo esta megaultrapower premiação começar seu processo de seleção, envie seus candidatos e divulgue para todos seus contatos. Em breve todas as informações, aguardem!

Postado por Equipe Observatório Cristão

9 567
Esses dias, no metrô indo para o centro da cidade, observei uma coisa que me intrigou: Já notaram quantas pessoas diariamente andam nas ruas com fones no ouvido? Em todos os lugares: ruas, shoppings, transportes… até trabalhando lá estão eles: os fiozinhos pendurados e alguma coisa entrando na mente e no coração de alguém.
E essa avalanche de iPods, mp3, celulares, mp4, etc… me levaram a pensar de forma lógica: apesar de existirem pessoas só ouvindo notícias ou com outras finalidades, a grande maioria está ouvindo música! Seja em rádio, seja da sua coleção de mp3 selecionados cuidadosamente em casa, ou por outro motivo ou razão, a música está cada vez mais sendo consumida nos dias atuais! A música ocupa cada vez mais o tempo das pessoas!
Realmente é uma notícia muito boa para todos nós que trabalhamos profissionalmente com música, afinal isso determina que cada vez mais existe procura para o que produzimos! Cada vez mais e mais pessoas estão ouvindo e “consumindo” música! Em 2007 eu estive no Japão em turnê com o grupo Toque no Altar e reparei que em todo lugar existia uma referência musical: nas lojas, nas ruas, estações de trem, taxis… Sempre eu estava ouvindo algum tipo de música, sempre eu estava em contato com uma música…
Então acaba sendo fácil chegar a conclusão: “Se existe a procura, posso também tentar ter o meu espaço nesse universo musical que é tão eclético hoje!”, e aí chego até a questão chave: “Realmente existe espaço para todos? Todo mundo pode tentar? COMO FAÇO PRA TER SUCESSO NA MÚSICA???”
Ano passado estive na ExpoCristã em São Paulo. Foi incrível: havia CENTENAS de CDs sendo lançados no evento. Todos buscando o seu lugar ao sol. Todos esperando ao menos o reconhecimento do seu talento e/ou esforço. Tive a oportunidade de ouvir muitos desses trabalhos e tive que reconhecer: Existe muita coisa ruim sendo lançada no mercado!
Como o desequilíbrio acaba sendo tão evidente! Chega a assustar realmente! Ao lado de excelentes trabalhos, estão cantores muito ruins, com repertórios muito ruins, e – principalmente – com produções muito ruins! Não sou o dono da verdade, mas graças a Deus os anos de experiência com música, gravações e produções me ensinou algumas coisas. Como perceber se alguém está desafinado, por exemplo! E é apenas um dos pontos que acabam desvalorizando alguns trabalhos.
Cantores até bons, com repertórios até bons, mas com produções sofríveis (musical e executiva) e cantores “de medianos para ruins” com produções simplórias. Resultado: milhares de coisas ruins invadindo o mercado e enchendo os Motorolas, Nokias e Sony Ericssons das pessoas, que – por sua vez – acabam mais seduzidas pelo poder da mídia do que propriamente pela qualidade do que está sendo oferecido a elas.
Talento é sinônimo de sucesso? Ser realmente bom em alguma coisa garante uma boa aceitação do mercado (e consequentemente, das pessoas)? COMO TER SUCESSO NO MEIO MUSICAL BRASILEIRO???
É claro que eu não sei essa resposta. Por um motivo único e simples: ELA NÃO EXISTE! Não há uma teoria ou prática, comprovada ou não, que garanta sucesso!
Estava lendo uma matéria sobre a cantora Mallu Magalhães. Em outubro de 2007, ela utilizou R$ 1,5 mil que ganhou de presente da família para gravar quatro músicas e criar sua página no MySpace. Em janeiro de 2008, a sua página do MySpace já contabilizava dez mil acessos diários (!!!). O primeiro “show” dela foi aos 16 anos (!!!). Ela sabia exatamente o que iria acontecer?
O próprio cantor Régis Danese (fenômeno de vendas e execuções), em uma entrevista a uma revista especializada enquanto seu CD ainda estava sendo produzido, declarou que estava muito feliz com a gravação… agradeceu a sua gravadora, aos amigos, aos músicos, etc… e quando pediram para que ele destacasse uma canção do disco, ele foi categórico: apontou a canção “Compromisso”, que era o título do CD. Todos sabemos que não foi essa exatamente a canção que dominou o Brasil no ano de 2008. Ele sabia que isso aconteceria? Pois é…
Constantemente pessoas se apresentam para mim com o intuito de informações sobre como gravar um disco. Geralmente exponho algumas opiniões para elas, para fazer com que entendam se é isso realmente o que elas desejam e se estão realmente dispostas a trabalhar para que isso aconteça.
Bem… Eu não sei a fórmula para o sucesso (já pensou se eu soubesse?), mas uma coisa eu sempre digo, principalmente para novos artistas: FAÇA UM DISCO BOM! Faça um disco que agrade o maior número de pessoas! Não impondo o SEU gosto pessoal no trabalho imaginando que todos serão obrigados a “engolir” o seu talento. O mercado hoje tem e faz algumas exigências no quesito “qualidade”, principalmente.
Invista na produção! Contrate um bom produtor! Um profissional com trabalhos conhecidos, de qualidade e reconhecido por trabalhos anteriores. Valorize sua ficha técnica! É muito bom quando somos apresentados a um novo trabalho e ouvimos que foi produzido/arranjado/executado por um profissional realmente gabaritado. Músicos bons poupam tempo e dinheiro.
Sempre tenha em mente que algum diretor de uma grande gravadora pode acabar ouvindo o seu trabalho, então faça um trabalho de qualidade! É muito frustrante quando ouvimos pessoas talentosas com trabalhos sem o mínimo de apreço, mal gravados, mal produzidos. NÃO JOGUE O SEU TALENTO FORA!
Outra coisa: tenha o maior cuidado possível ao seu preparar um repertório. Muitos trabalhos hoje são até feitos em estúdios bons e muito bem gravados, mas as músicas acabam não empolgando ninguém. Quando não são meras repetições de outras músicas, ficam beirando o óbvio, repetindo clichês e não acrescentam nada a quem está ouvindo. Capriche na escolha do repertório do seu trabalho! Inove! E, se você é compositor, não fique com a idéia fixa que as SUAS músicas são as melhores para a sua voz… Nem sempre estamos 100% com a razão… Compor é uma coisa, interpretar é outra, tocar é outra, e assim por diante, nem todo mundo é bom em tudo.
É… Realmente podemos fazer tudo certo e mesmo assim dar errado… Não temos garantia de nada. Mas como eu costumo dizer: “Faça a sua parte, e deixe que Deus vai fazer a dEle!”.
E a você que tem talento para cantar ou tocar: espero realmente ter a oportunidade de ouvir um trabalho seu. Um trabalho bem produzido, feito por bons músicos, bem gravado, com uma boa estratégia de marketing (que é outro assunto igualmente importante), mas principalmente – UM TRABALHO BOM DE SE OUVIR!
Um grande abraço e até uma outra oportunidade!
Leandro Silva é produtor musical, músico e compositor. Trabalhou com vários nomes do mercado gospel (tem uma indicação ao Grammy Latino 2008 de “melhor álbum cristão em língua portuguesa”) e atualmente além de ser produtor musical, toca com a Banda Lucas 3 (LC3) e acompanha a turnê 2010 da Banda Novo Som.
MySpace: www.myspace.com/leandrosilva10
Twitter: www.twitter.com/leandrosilva1

Hoje o Observatório Cristão tem o enorme prazer de trazer para vocês queridos leitores, um baita profissional, Leandro Silva é produtor musical além de um ótimo tecladista, já produziu mais de 25 cds, suas últimas 3 produções receberam indicações no Troféu Talento como melhor álbum do ano. Dentre muitos trabalhos importantes, foi tecladista e produtor musical do Ministério Toque no Altar, onde já gravou 6 CDs, totalizando mais de 2 milhões de cópias vendidas e 3 DVDs (mais de 200 mil cópias), se apresentando em todo o Brasil e no exterior.

Depois dessa introdução podemos constatar que o Observatório Cristão esta se especializando cada vez mais em trazer para você sempre o melhor.

Com vocês, Leandro Silva!

Esses dias, no metrô indo para o centro da cidade, observei uma coisa que me intrigou: Já notaram quantas pessoas diariamente andam nas ruas com fones no ouvido? Em todos os lugares: ruas, shoppings, transportes… até trabalhando lá estão eles: os fiozinhos pendurados e alguma coisa entrando na mente e no coração de alguém.

E essa avalanche de iPods, mp3, celulares, mp4, etc… me levaram a pensar de forma lógica: apesar de existirem pessoas só ouvindo notícias ou com outras finalidades, a grande maioria está ouvindo música! Seja em rádio, seja da sua coleção de mp3 selecionados cuidadosamente em casa, ou por outro motivo ou razão, a música está cada vez mais sendo consumida nos dias atuais! A música ocupa cada vez mais o tempo das pessoas!

Realmente é uma notícia muito boa para todos nós que trabalhamos profissionalmente com música, afinal isso determina que cada vez mais existe procura para o que produzimos! Cada vez mais e mais pessoas estão ouvindo e “consumindo” música! Em 2007 eu estive no Japão em turnê com o grupo Toque no Altar e reparei que em todo lugar existia uma referência musical: nas lojas, nas ruas, estações de trem, taxis… Sempre eu estava ouvindo algum tipo de música, sempre eu estava em contato com uma música…

Nestes últimos meses a entrada da Sony Music no mercado gospel gerou uma enorme curiosidade por parte do grande público e em especial da mídia, seja secular ou a gospel. Para que você fique por dentro ao que foi assunto em diferentes entrevistas, selecionei 4 sites que publicaram matérias relacionadas a este tema. Boa leitura!

http://www.showgospel.com.br/modules/news/article.php?storyid=148

http://www.igeva.com.br/entrevistas/ler/2321,O-NOVO-SELO-GOSPEL-DA-SONY-MUSIC-BRASIL–ENTREVISTA-EXCLUSIVA-COM-MAURICIO-SOARES.html

http://www.ogalileo.com.br/louvores/entrevistas/mauricio-soares-fala-sobre-os-planos-da-sony-music-o-trofeu-talento-e-as-midias-digitais

http://www.gospelplanet.com.br/entrevistas/entrevista-exclusiva-com-mauricio-soares-da-sony-music

Por Mauricio Soares

Ponto de encontro online dos descolados do universo musical, o MySpace enfrenta um cenário de grande concorrência no mercado brasileiro, onde se instalou oficialmente em dezembro de 2007. Na época, o site voltado aos fãs de música chegou fazendo o estardalhaço de quem viria competir como o então e atual líder local das redes sociais, o Orkut. Desde então, Twitter e Facebook ganharam força no país e o MySpace, propriedade da News Corp, teve de rever a estratégia com a qual havia desembarcado por aqui.

“Ninguém tira o trono do MySpace pelo fato de ele oferecer conteúdo musical direto da fonte. Mas as redes sociais mudaram, se adaptaram e também tivemos de nos mexer”, afirmou ao UOL Tecnologia, Túlio Magalhães, que assumiu em outubro de 2009 o cargo de gerente comercial do MySpace Brasil. Isso significa, entre outras coisas, que o site pretende diversificar seu público: freqüentado principalmente por jovens e fãs de música alternativa, o br.myspace.com deve passar a contar com público sertanejo e gospel, entre outros.

Até meados dos anos 80, as gravadoras não somente cuidavam da produção, divulgação e distribuição dos LPs (sim Long Plays, isso de fato existiu!) de seus artistas, como também administravam suas carreiras para a área de shows. Uma gravadora de grande porte reunia em seus escritórios algo como 300, 400 profissionais que atuavam em diferentes áreas do processo de produção musical, controle e administração, estoque, expedição, publicidade, promoção e vendas, direitos autorais, entre outras atividades.
Com o boom do mercado fonográfico nacional em fins dos anos 80, as gravadoras optaram sistematicamente por abrir mão de agenciar artisticamente os seus contratados. Dizia-se à época que vender shows, administrar agendas, contratantes, logística e todas as variáveis que faziam parte deste universo seriam muito trabalhosos e pouco rentáveis. Assim surgiram os escritórios de empresários para cuidarem dos shows dos artistas pelo país e exterior.
Com a mudança da mídia de LP para CD e a impressionante implosão do mercado fonográfico pela pirataria, uma abrupta série de mudanças no mercado ocorreram trazendo um verdadeiro clima de caos ao mercado fonográfico mundial. As gravadoras viram seus faturamentos encolherem e onde antes existiam centenas de funcionários, restaram dezenas de profissionais esforçando-se por salvar aquele que outrora fora um mercado pujante.
Com a chegada da web e o mercado digital, muitos “arautos do apocalipse” anteciparam-se a decretar o sepultamento do mercado fonográfico. Realmente, por volta dos anos 2000, ninguém sabia bem ao certo como se dariam as mudanças de hábito do consumidor e o relacionamento do mercado com a música.
Passado o momento de absoluto pânico, o que vemos hoje é um mercado promissor com o advento do ambiente digital onde as possibilidades de negócios se multiplicaram de forma exponencial. Se antigamente as gravadoras no país atuavam junto a um mercado distribuidor com 3.000 pontos de venda entre lojas especializadas, magazines, supermercados e distribuidores, atualmente este mercado no Brasil ampliou-se com mais de 200 milhões de aparelhos celulares, inúmeros projetos especiais, sites, downloads, ações promocionais.
Acompanhando as mudanças no trato com o mercado consumidor, as gravadoras buscam uma nova configuração no relacionamento com os artistas. Se até bem pouco tempo atrás as gravadoras focavam suas ações tão somente na venda de CDs, hoje a visão é ampliar a atuação no mercado através do modelo 360º.
O modelo 360º tem como base otimizar todo tipo de negócio relacionado à figura do artista e da música. Atualmente algumas gravadoras já administram a carreira dos seus contratados de forma plena, ou seja, a área de agenciamento de shows, passando por ações de merchandising e publicidade. O objetivo neste novo modelo é proporcionar ao artista diversos tipos de negócios que venham a impulsionar ainda mais sua carreira artística. A gravadora não mais se preocupa em fazer apenas um belo projeto musical, mas passa a administrar de forma completa a carreira artística musical como também a área digital, direitos autorais e de imagem, contratos publicitários, workshops, entre outros.
No mercado gospel nacional este modelo de negócio ainda não existe. Nenhuma gravadora gospel neste momento oferece tal pacote de assessoria plena, muito em função de uma falta de entendimento sobre esta nova modalidade de gestão e também porque certamente haverá uma revolta daqueles artistas que hoje administram suas carreiras. É claro que esta discussão irá gerar debates acalorados daí em diante, mas é importante que todas as partes envolvidas comecem a pensar nesta nova situação porque ela é uma tendência clara e definitiva.

Até meados dos anos 80, as gravadoras não somente cuidavam da produção, divulgação e distribuição dos LPs (sim Long Plays, isso de fato existiu!) de seus artistas, como também administravam suas carreiras para a área de shows. Uma gravadora de grande porte reunia em seus escritórios algo como 300, 400 profissionais que atuavam em diferentes áreas do processo de produção musical, controle e administração, estoque, expedição, publicidade, promoção e vendas, direitos autorais, entre outras atividades.

Com o boom do mercado fonográfico nacional em fins dos anos 80, as gravadoras optaram sistematicamente por abrir mão de agenciar artisticamente os seus contratados. Dizia-se à época que vender shows, administrar agendas, contratantes, logística e todas as variáveis que faziam parte deste universo seriam muito trabalhosos e pouco rentáveis. Assim surgiram os escritórios de empresários para cuidarem dos shows dos artistas pelo país e exterior.

4 436

A maior premiação da música gospel nacional, o Troféu Talento, promovido anualmente pela Rede Aleluia, divulgou em seu site oficial nesta quarta-feira (31) a suspensão por tempo indeterminado da edição de 2010.

De forma absolutamente suscinta, a direção do evento postou no site www.trofeutalento.com.br que por motivos de força maior a premiação estaria suspensa. Na verdade, este tipo de informação mais desinforma do que esclarece. Que “forças maiores” seriam estas que impediriam a realização do evento neste ano? Falta de patrocínio? Falta de local? Falta de talentos para serem julgados?

Sinceramente não consigo imaginar o que pode ter causado esta decisão por parte da Rede Aleluia, mas que o Troféu Talento irá deixar uma lacuna, isso sem dúvida deixará. Mesmo com a pol êmica que as indicações e premiações sempre geravam, o evento movimentava o mundinho gospel e fará falta ver aquelas artistas todas com seus vestidos longos e esvoaçantes, super maquiadas correndo de um lado para o outro no backstage do Credicard Hall, ou ainda os cantores sempre sorridentes cumprimentando a todos, inclusive os garçons e equipe da segurança.

A Associação Brasileira de Produtores de Discos, ABPD, divulgou nesta semana os números oficiais relativos ao faturamento de 2009, que apresentou uma melhora geral, ainda que tímida, em relação ao ano anterior. No entanto, os números que mais chamaram a atenção foram os relativos ao mercado de venda de músicas digitais, que cresceu 159,4%, faturando cerca de R$ 41,7 milhões. Deste toral, 58,7% ou R$ 21,121 milhões foram de receitas advindas da internet e 41,3% de vendas de músicas via telefonia móvel com R$ 17,657 milhões.

Pela primeira vez em quatro anos, desde que a ABPD anuncia os números do mercado digital, os percentuais das vendas da internet superam os das feitas através da telefonia móvel. Este resultado é um indício claro da mudança de hábito de consumo apontando para a compra legal de música através de sites legalizados.

No mundo, o segmento de música digital apontou crescimento de 12% em 2009 e movimentou cerca de US$ 4,2 bilhões de acordo com o Digital Music Report, informativo divulgado em janeiro pela Federação Internacional da Indústria Fonográfica (IFPI).

O mercado digital gerou no mundo em 2009, receitas que representam 27% do total de vendas de músicas gravadas. Já no Brasil a participação do mercado digital no total das receitas passou de 8% para 12% em 2008 e em 2009 manteve-se em igual patamar.

O crescimento das vendas de música digital por sites legalizados aumentou sensivelmente no Brasil, em detrimento aos downloads ilegais e à pirataria física de CDs.

Em 2006, dos R$ 8,5 milhões arrecadados nas vendas da área digital, apenas 4% eram relativos à internet – cerca de R$ 300 mil – contra 96% da telefonia móvel ou R$ 8,2 milhões. Já no ano seguinte o percentual da internet havia aumentado para 24% dos R$ 24,2 milhões arrecadados.

Em 2008 esse percen tual caiu em 2%, arrecadando R$ 9,863 milhões do montante de R$ 43,503 milhões. No ano passado, ele teve variação positiva com assombrosos 159,4%, ou seja, mais do que o dobro do que havia conquistado em 2008 e assumindo assim a hegemonia do setor, desde o início dominado pelas vendas via telefonia móvel, que tiveram variação negativa de 47,8%.

Todos estes números apontam para um maior amadurecimento do consumidor na relação com a música digital na web. Especificamente no mercado de música gospel, ainda vivemos a situação do início do mercado digital onde os sites ilegais (sim! o mercado gospel tem sites ilegais, triste não?) imperam no comércio de música. As gravadoras sequer entraram com firmeza no segmento de telefonia móvel e vêem este mercado declinar em detrimento ao mercado legal de comercialização.

As inúmeras possibilidades do mercado digital surgem e se ampliam a cada dia e é saudável que o mercado gospel acompa nhe, ou melhor, recupere o tempo perdido e se adeque urgentemente, pois é uma questão de sobrevivência, de longevidade na nova realidade do mercado fonográfico. O mercado digital não é mais futuro, mas um presente bem consolidado.

Fonte Jornal O Globo, adaptado por Mauricio Soares, Blog Observatório Cristão

A primeira contratação da Sony Music para o projeto de música gospel no Brasil, a Banda Resgate, encontra-se nestes dias preparando o CD de estréia na gravadora. O CD que conta com o sugestivo nome de “Ainda não é o último” tem previsão de lançamento para a segunda quinzena de maio.

De acordo com o Bispo Zé Bruno, o projeto contará com 12 canções inéditas e produção musical de Dudu Borges. “Estamos em pleno processo de gravação, “internados” no estúdio em São Paulo nestes dias. Tem sido um momento muito legal para a Banda, afinal já estamos sem ter este tipo de experiência de gravação há mais de 2 anos. Nesta semana estamos colocando voz nas canções e o Bispo Hamilton veio de Recife para gravar suas participações. Creio que em mais 2 semanas tenhamos grande parte do processo do CD resolvido e na sequência iremos lançar o primeiro single que seguirá para as rádios de todo o país.”

O vocalista da Banda ainda adianta que o estilo musical no novo trabalho seguirá os CDs anteriores, ou seja, com muito rock, guitarras, letras diferenciadas e uma leve pitada de humor. “Como estamos há muito tempo sem lançar um trabalho inédito, nosso estoque de canções estava bem recheado! Então não tivemos nem tanta dificuldade em definir o repertório, mas sempre fica de fora uma ou outra música de qualidade. Acho que nosso próximo trabalho irá representar um momento todo especial em nossas vidas, pois hoje estamos bem mais amadurecidos e conscientes de que a partir de agora a dedicação à Banda será integral. Queremos nos dedicar à música como jamais pudemos nestes tantos anos de estrada. Com isso nossa agenda será bem mais intensa e já estamos nos programando para uma extensa turnê pelas principais capitais do Brasil.”

Além da novidade do primeiro trabalho pela Sony Music, a Banda Resgate nos próximos estreará uma nova página oficial na web. O departamento de marketing da gravadora está preparando uma intensa campanha de divulgação para o lançamento deste trabalho que contará com intensa execução do single nas rádios, entrevistas e promoções junto ao público e lojistas. Nos próximos dias será divulgada a capa do CD que contará com a criação do designer de Carlos André Gomes e fotos de Décio Figueiredo.
Agora, se você quer acompanhar as informações deste novo trabalho tem a opção de entrar no twitter do Bispo Hamilton –http://twitter.com/bispohamilton – e assistir aos vídeos do estúdio e outras novidades deste novo CD.

Fonte:
Assessoria de Imprensa

Sony Music