Home Design Mercado Fonográfico: Design Pra Vencer

Mercado Fonográfico: Design Pra Vencer

Agora eu quero falar com você artista gospel, líder de banda, cantor ou cantora.

Quero falar com você que já escolheu o repertório com todo o cuidado, que já tem um produtor à altura das suas pretensões, e que já dedicou tempo e dinheiro ao seu projeto de se lançar — ou de se manter ativo — num mercado cada vez mais competitivo.

Se é verdade que um cd mal gravado, mal mixado, e com músicas ruins comprometerá seriamente o seu sonho de fazer carreira como cantor ou cantora, também pode-se dizer sem nenhuma dúvida que, sem um trabalho gráfico à altura, você vai continuar sendo o talento que ninguém sabe, que ninguém viu e, pior, pelo qual ninguém irá pagar.

Não adianta nada gravar em Abbey Road, em 180 canais, bebendo Água Bling (US$40,00 a garrafa de 750ml) e ao som de uma orquestra de Stradivarius: se você quer que alguém leve o seu cd pra casa, você vai ter que passar no teste da prateleira.

E aí, não tem jeito: no meio da loja, o cliente apressado passa diante de dezenas, centenas de produtos. Ele pode pegar qualquer um, ou nenhum, mas na esmagadora maioria das vezes, não vai ter como ouvir e descobrir se o cd é bom ou não.

Privado da chance de ouvir, ele escolherá um deles baseado meramente naquilo que vê. Sozinho diante da prateleira, ele vai optar por aquele cuja capa antecipa ou sugere as emoções que ele pretende ter ao ouvir um determinado conteúdo — ainda que tenha que escolher entre dois cds de um mesmo artista, a capa o ajudará a definir qual dos produtos merece prioridade na aquisição, deixando o menos atraente para uma segunda oportunidade.

Ao mesmo tempo, este mesmo comprador rejeitará prontamente tudo aquilo que, visualmente, indique um produto ou idéia contrária a da intenção de compra que ele pretende realizar.

Aliás, só pra saber: tendo que escolher entre dois produtos, você alguma vez optou por algo mais feio, menos atraente, mais mal acabado e deixou o que lhe parecia melhor pra trás?

Pois é… Da menina adolescente ao garotão que pretende impressionar a namorada; da senhora cinquentona à noivinha romântica; do rockeiro angustiado ao pagodeiro de camisa aberta e medalha no peito: todos eles, sem exceção, querem ver na capa algo que os motive a comprar, que esteja conectado com aquilo que esperam encontrar quando apertarem “play”.

Infelizmente, é nesta hora fatal, na hora da decisão de compra, que aqueles que não compreenderam a importância do Design para a promoção de um produto, acabam ficando pra trás…

O descaso com a produção de sua imagem é, sem dúvida, um dos maiores pecados que um artista pode cometer.

Que o digam os milhares de cds de análise que mofam no fundo de caixas de papelão de gravadoras, apenas por terem uma capa amadora ou que denuncia ou sugere um pavoroso conteúdo…

Milhares de artistas promissores, que jamais terão a chance de serem ouvidos, apenas porque acreditaram que a capa era o que menos importava.

Não caia nessa!

Cuide de tudo: do áudio à água que você vai beber, passando pelo produtor, o arranjador, o tecladista… Mas, se você quer resultados, não se esqueça de incluir os custos de design antes de projetar o seu orçamento.

Contrate um profissional! Não entregue o seu destino nas mãos “daquele sobrinho que tem um computador”.

Não é pra ser apenas uma capinha bonita: o profissional tem que dizer detalhadamente, porque escolheu aquela roupa, aquela foto, aquele abordagem e não outra.

Design não é piração e nem espasmo criativo: não confie em nada que não esteja claramente explicado pra você, de preferência numa defesa de projeto, como foi no caso da nova capa para o cd Resgate, que publicamos num post anterior,

Leve a sério a capa do seu cd.

É esta capa que vai falar quem você é, quando você não estiver presente pra se explicar.

É o seu encarte que vai mostrar o que você tem na cabeça quando aquele fã da cidade distante retirar o plástico, ansioso pra ouvir o seu novo trabalho.

É o seu material gráfico que vai afirmar e fixar a sua imagem como artista na mente dele, fazendo com que ele prefira você quando tiver que decidir entre milhares de outros artistas do mesmo segmento.

É o investimento no Design do seu produto que vai dar a você a imagem que precisa pra se destacar neste mercado em que todo mundo se parece.

Enfim, é o Design, é o trabalho realizado pelo Designer que vai traduzir em imagens, cores e emoções tudo aquilo que você colocou nas suas canções.

Se tem toda esta importância para o seu sucesso, então é melhor escolher bem o profissional, e pensar muito antes de economizar justamente no material gráfico. Concorda?

Bem, a menos que você prefira acabar na caixa de papelão…

Carlos André Gomes é Designer Gráfico e não compra CD com capa feia.

Notícias relacionadas

  • Pingback: Mauricio Soares

  • Pingback: Mauricio Soares

  • Pingback: Valney Silva

  • Pingback: leilane

  • Pingback: Carlos.Andre.Gomes

  • Pingback: Larissa Moraes

  • Pingback: Carol Malezon

  • Pingback: vladymi

  • Pingback: André Gil

  • Pingback: Carlos.Andre.Gomes

  • Pingback: Luquinhaz

  • Pingback: herbert holdefer

  • Pingback: Paçoca Ribeiro

  • http://twitter.com/marinalvamotta/status/13148052474 Marinalva Motta

    RT @luquinhaz: Contrate um profissional! Não entregue o seu destino nas mãos “daquele sobrinho que tem um computador”.> http://is.gd/bOSjL

  • http://twitter.com/sinvasjr/status/13375643419 Sinval Júnior

    Design Pra Vencer http://migre.me/BIBR [via @CarlosAndreG] Não compro cd's feios também!

  • Hudson

    Sou apaixonado por música gospel internacional, principalmente ROCK.
    Adoro Tenth Avenue North, excelente banda. Com certeza um cd que vou comprar de cara.
    Mais eu gosto muito de Fireflight, gostaria que trouxessem também…

  • Paulo Henrique

    Tb tem o livro Walk On, uma jornada espiritual do U2 da W4 Editora. É muito legal e tem tudo a ver com o movimento que está por ai de cristianismo criativo.

  • Anderson "Negrão"

    Muito boas as observações e tomara que haja mesmo uma produção a respeito da música dentro do segmento evangélico no Brasil, e que esta não se esqueça de um personagem que ao meu ver tornou-se um divisor de águas para a música na igreja: Janires, ele pode até não ser o único mas o significado de suas investidas na música e na mudança de parâmetros desta não poderá jamais ser desconsiderado ou tratado com pouco caso. Para mim ele é um ícone da nossa música evangélica brasileira.

  • http://twitter.com/mauriciossoares/status/22573219465 Mauricio Soares

    RT @TopsyRT: Mercado Fonográfico: Design Pra Vencer http://is.gd/bCRC2 – Outra boa leitura com post de @carlosandreg

  • http://twitter.com/claudineiflavio/status/22573515431 Claudinei Flavio

    RT @mauriciossoares: RT @TopsyRT: Mercado Fonográfico: Design Pra Vencer http://is.gd/bCRC2 – Outra boa leitura com post de @carlosandreg

  • http://twitter.com/claudineiflavio/status/22574179520 Claudinei Flavio

    @samuelmatiola e @andrebuenno_ vejam que post sensacional do http://www.observatoriocristao.com/observatorio/?p=418 @mauriciossoares #inte

  • http://twitter.com/mauriciossoares/status/92365956852088832 Mauricio Soares

    RT @TopsyRT: Mercado Fonográfico: Design Pra Vencer http://t.co/QLyMhoM

  • http://twitter.com/elhyldes_araujo/status/92366031359709184 elhyldes_araujo

    RT @TopsyRT: Mercado Fonográfico: Design Pra Vencer http://t.co/QLyMhoM

  • http://twitter.com/mauriciossoares/status/93492423199690753 Mauricio Soares

    RT @TopsyRT: Mercado Fonográfico: Design Pra Vencer http://t.co/QLyMhoM

  • http://twitter.com/kellydornel/status/98223728781041664 Kelly Andrade

    Detalhes notáveis! Adoro saber o que levou a determinado trabalho. RT @TopsyRT: Mercado Fonográfico: Design Pra Vencer http://t.co/9J1kjQw