Dicas de Investimento na Carreira Artística

1
Uma das grandes dúvidas que assolam artistas do meio gospel, em sua grande maioria, artistas independentes, é que tipo de investimento deve ser feito para que os seus respectivos trabalhos sejam conhecidos pelo grande público.

Esta é uma questão que deve ser tratada com máxima atenção, até porque demanda investimentos financeiros e efetivameipnte dinheiro não dá em árvore! Infelizmente tenho encontrado vários artistas em nosso meio, que encontram-se completamente frustrados, desanimados e decepcionados pelos investimentos realizados e resultados pífios no tocante aos seus objetivos.

Além disso, tenho ouvido de muitos destes, casos escabrosos de ‘consultores’ que simplesmente torraram somas relevantes de dinheiro em ações completamente infrutíferas. Tive acesso a um caso de um artista que simplesmente incinerou 200 mil reais em ações de divulgação porque confiou cegamente em um destes “consultores de mercado” que se dizia influente e cheio de portas abertas nas mídias evangélicas do país.

De uma forma bem direta e transparente tentarei traçar um plano de ações para aqueles que buscam uma maior exposição no mercado gospel. E o primeiro passo é definir quais mídias devem ser priorizadas. Sem pestanejar, indico apenas 2 mídias para investimento inicial, a saber: web e rádio.

Hoje em dia, a ferramenta mais acessível economicamente, sem dúvida alguma, é a internet. No Brasil, cada vez mais pessoas têm acesso ao mundo digital. O próprio Governo Federal estabeleceu como meta e plano de governo a democratização do acesso à internet e à banda larga. Estima-se que em mais alguns anos, grande parte do território nacional e dos lares brasileiros tenha capacidade de acessar a internet de qualidade.

Então, o primeiro passo é contratar um profissional de web para cuidar de todo o seu projeto digital. Hoje, ter um site oficial atualizado com uma boa apresentação gráfica é só uma pequena parte do todo. Muitas são as ferramentas digitais que devem ser utilizadas para amplificar cada novidade do trabalho do artista. Neste caso, o melhor a se fazer é investir num profissional de qualidade. Se você não tiver como investir na contratação de um profissional ou empresa de qualidade para cuidar de sua plataforma digital, então repense desde já suas expectativas!

Tenho visto sites horrorosos na web dia a dia. Vejo infelizmente artistas, muito já consagrados, com sites que mais parecem ter sido criados por crianças aprendendo o beabá da programação web. Então, pra começo de conversa: se não for para investir num profissional de qualidade, então melhor nem seguir lendo este post. Tente alguma outra profissão!

E como escolher o profissional ou agência adequados? Muito simples, procure conhecer o portifólio de trabalhos já realizados. Nada melhor do que conhecer os projetos já desenvolvidos para que se conheça efetivamente a capacidade do profissional a se contratar.

Por favor! Fuja de projetos complicados que ao longo do seu dia-a-dia não poderão ser atualizados! Essa é uma armadilha que muitos artistas infelizmente caem com certa regularidade! Não crie um site pensando de forma megalômana, como se fosse um G1 ou um portal de notícias da CNN. Limite-se a poucas informações, mas que estas sejam efetivamente sempre atualizadas.

Então, anote aí! O site deve ser simples e direto! Nada de informações desnecessárias! Você já parou para pensar o que leva uma pessoa a entrar em um site de artista? Certamente não é para ter acesso à cotação da Bolsa de Valores (sim! Já vi site de artistas informando previsão do tempo, cotação do dólar e da Bolsa de Valores) ou outra informação desnecessária. Um site de artista prioritariamente deve conter: Discografia, Biografia, Contatos, Notícias Recentes, Galeria de Fotos e Agenda, nada além disso! E é claro que o site oficial deve estar ligado às outras ferramentas como FlickR, Twitter, MySpace, Facebook tudo simultaneamente sendo atualizado.

Eu tenho como hábito e como dever de ofício, visitar muitos sites diariamente. Um dos meus pontos de análise para os sites é a periodicidade de atualização das informações. Quando percebo que um determinado site permanece mais do que 5 dias sem atualização, meu nível de interesse cai assustadoramente! Então, outra dica para os artistas é: mantenha seu site permanentemente atualizado de notícias.

E aproveitando o gancho, o artista não pode se dar ao luxo de abrir uma conta no Facebook ou no Twitter e deixar seus seguidores mofando, cheios de teias de aranha, aguardando por alguma informação importante! A atualização nas redes sociais é fator de sobrevivência e mesmo de respeito aos fãs e amigos! Se não for para atualizar diariamente, então é melhor: “Pedir pra Sair!” (BG da música Tropa de Elite)

Antes de seguir pelo tema, deixem-me (refiro-me aos 33 ávidos leitores do Observatório Cristão) falar só mais um pouquinho sobre atualização nas redes sociais. Muito cuidado para não incorrer no erro oposto ao da não-atualização, ou seja, a saturação de informações nas redes sociais. Tem artista gospel que parece um “tuiteiro compulsivo” digno de freqüentar reunião dos T.A. (tuiteiros anônimos) tamanha a quantidade de tweets que o dito cujo coloca em sua TimeLine diariamente. Então vale a pena também destacar que as redes sociais na web devem ser usadas com moderação! Nada de ficar enchendo sua TimeLine de informações desnecessárias do tipo “estou na esteira perdendo alguns quilinhos” ou “agora vou comer um frango com quiabo”. Este tipo de informação não ajuda em nada na divulgação de seu trabalho, ministério ou talentos.

Ainda na web, você poderá começar a desenvolver um relacionamento mais próximo com os inúmeros blogs e sites especializados em música gospel. A melhor opção é contratar um profissional especializado para tal serviço, um assessor de imprensa. Da mesma forma que destaquei a necessidade de se investir num profissional de gabarito na questão web, não caia na armadilha de contratar um “acessor de imprensa” – vale a pena ver outro texto publicado aqui no ObC sobre esse mesmo tema – porque geralmente o tiro sai pela culatra!

Mas mesmo contratando um profissional de qualidade, tenha muito cuidado com as pautas produzidas e sugeridas para as mídias. Não caia mais uma vez na tentação de ser uma “usina de notícias”. Efetivamente divulgue notícias relevantes e que sejam interessantes para chamar a atenção das mídias.

Depois de resolvidas as questões da plataforma web e da assessoria de imprensa, o caminho natural de investimento passa a ser a aproximação com rádios. Em outra oportunidade, destaquei que todo sucesso nacional, antes de mais nada, precisa acontecer em caráter regional. Dificilmente um artista é contratado por uma grande gravadora ou torna-se conhecido nacionalmente sem que este tenha se destacado em nível local.

Desta forma, o investimento em rádio deve ser criterioso. De preferência na própria praça onde o artista reside e trabalha. Não adianta você investir logo num primeiro momento nas rádios de Manaus e Belém, se sequer trabalhou a rádio de sua cidade, por exemplo. Hoje em dia, é bastante tranqüilo estabelecer um plano de mídia de rádio nas principais praças do país, mas isso efetivamente não é o melhor caminho. O processo pode até parecer mais lento, mas sem dúvida, é muito mais produtivo e econômico, ou seja, invista em contratos de 3 meses de veiculação apenas nas rádios onde seu trabalho de agenda está mais aquecido. E por falar em agenda, a melhor forma de mensurar a resposta do investimento em rádio não é a venda de CDs, mas os convites das igrejas recebidos. Se liga nesta dica!

Basicamente as principais informações para quem deseja fazer um investimento em sua carreira foram descritas neste post. É óbvio que há ainda muito mais questões que devem ser trabalhadas para que os objetivos de sucesso sejam alcançados, mas em termos de investimentos iniciais se você conseguir fazer um bom trabalho nestes 3 pilares – web, assessoria de imprensa, rádios – então creio que grande parte do caminho já estará percorrido. Mãos à obra e sucesso!
_______________________________________

Mauricio Soares, jornalista, palestrante, colunista, editor do blog Observatório Cristão, estudioso do mercado fonográfico, amante da boa música, da boa mesa e de um bom descanso. Este texto foi escrito num vôo São Paulo-Goiânia onde mais uma vez me fartei de amendoim e bolachas.

32 Comments

Deixe uma resposta