Dissecando Os Arrais e o álbum “MAIS”

 

Aproveitando mais um vôo, sigo redimindo meu escasso tempo em textos para o Observatório Cristão. Estes últimos dias, em especial, foram muito intensos e mesmo com o feriado papal em função da JMJ no Rio deJaneiro, a quantidade de atividades pendentes era tão enorme, que não tive o menor tempo para dedicar-me a algumas linhas para este blog. Então, sigo aproveitando meu tempo de saguão de aeroporto e de vôos para escrever alguns textos.

Não costumo utilizar esse espaço para falar de projetos lançados por mim em meus afazeres corporativos. Tento exercitar neste blog um lado mais pessoal como se fosse o Pelé falando do Sr. Edson Arantes do Nascimento. Mas longe de querer referir-me na terceira pessoa, a verdade é que em raras vezes uso este espaço para tecer loas ou mesmo destacar algum projeto coordenado por minha ‘enquanto pessoa jurídica’. No entanto, estou completamente envolvido por um projeto que tive o prazer e honra de lançar recentemente através da Sony Music e que não posso me furtar a comentar e incentivar aos diletos leitores do Observatório Cristão para que também possam conhecer essa obra prima.

Estou falando do álbum “Mais” da dupla Os Arrais. Este CD me foi apresentado pelo não menos talentoso e entusiasta da boa música, Leonardo Gonçalves. Por algumas vezes, Léo me comentou desse trabalho que estava em fase de finalização e sempre me incentivava a conhecer um pouco mais da obra desses irmãos que residiam nos EUA estudando teologia. Confesso que o fato deles morarem distantes milhares de quilômetros do Brasil e ainda por cima, dedicando-se a uma carreira mais teológica e menos artística não me pareceram tão empolgantes num primeiro momento. Recordo-me que ouvi a primeira versão do trabalho de Os Arrais em meio a e-mails, telefonemas, conversas em minha sala … ou seja, a antítese de como um trabalho desta envergadura deve ser degustado. Ainda assim, a primeira impressão foi boa. Tirei uma cópia erepassei-a para meu gerente comercial. Como sempre faço, além de repassar acópia do CD, fiz um pequeno briefing do projeto e deixei claro de que havia gostado do que estava ali.

Passados alguns dias, o meu gerente comercial adentra por minha sala e passa a tecer elogios ao trabalho da dupla. Como sei que esse é um estilo bem diferente do que ele curte e entende, observei com atenção o impacto que “Mais” havia causado naquela pobre alma. Ouvi novamente o CD e não tive dúvidas em seguir com o projeto. Deste momento até o lançamento no mercado, muitas trocas de e-mails, muitos documentos, correria pelos prazos, detalhes … e no fim, eis que recebemos o CD em mãos e tenho a grata satisfação de conhecer Os Arrais numa meteórica visita na sede da gravadora no Rio de Janeiro. Pessoalmente, Tiago e André Arrais eram exatamente o que euimaginava que seriam. Dois jovens artistas, extremamente bem preparados, com uma excelente bagagem cultural, gente polida, boa praça, bem distantes do estereótipo do que convencionamos como artista. Simplesmente vi na minha frente dois jovens idealistas querendo mostrar um pouco do que entendiam como música cristã. Nada preocupados em inaugurar um novo estilo, um novo conceito de música, simplesmente querendo mostrar suas poesias, sua visão de mundo, seujeito próprio de fazer arte.

A proposta do álbum “Mais” é diferente do que nos deparamos hoje em dia como música gospel. Lembro que Tiago (ou André, não me recordo bem!) me disse que no CD, teria apenas uma ou duas músicas “mais com a cara de rádio”. Optamos como primeiro single a música “Não Fale” com participação maestral de Daniela Araújo. Naqueles primeiros dias, confesso que ainda não havia pesquisado o álbum com a atenção que este merecia. Isso só veio a acontecer algum tempo depois. Já no lançamento, “Mais” surpreendeu a todos com a excelente performance no iTunes. O CD em poucos dias saiu do mais profundo anonimato para os primeiros lugares em vendas na plataforma digital e cerca de uns 5 dias depois de lançado, o CD figurou no ápice, no top de vendas do iTunes no Brasil desbancando alguns medalhões nacionais e internacionais. Aquela performance já era um indício de que havia muita gente ligada no som daqueles irmãos e assim como havia sido com o projeto do próprio Leonardo Gonçalves (primeiro artista religioso a liderar o iTunes no Brasil), aquele som tinha uma boa demanda no meio cristão tupiniquim.

Com esta performance meteórica e cada vez ouvindo mais e mais comentários sobre o CD, resolvi dedicar-me integralmente ao projeto.Peguei um CD, coloquei em minha mochila e ao chegar em meu carro, inseri “Mais” em meu som. Como meu trajeto diário entre casa e escritório é de no mínimo uma hora e meia por rota, teria ao menos 3 horas por dia para conhecer mais profundamente cada detalhe deste projeto. E assim, dia após dia, ligava meucarro e automaticamente aumentava o som para conhecer cada canção deste álbum. Agora, passados mais de 30 dias ouvindo quase que diariamente esse álbum, confesso que estou completamente envolvido pela proposta e qualidade desta obra prima. Sei a ordem do CD de cor e me arrisco a fazer algumas cantorias enquanto ouço as músicas (muita pretensão de minha parte, eu sei disso! Mas os vidros do carro estão sempre muito bem fechados!).

O ponto forte deste trabalho não é a voz dos irmãos Arrais, apesar de serem bastante afinados. Também não está nos arranjos grandiosos … nada disso! A força deste CD encontra-se justamente na simplicidade de tudo e ao mesmo tempo em sua eloquência absurda! É tudo muito claro, sem parecer óbvio! As letras são perfeitas! Tudo é muito coeso, muito bem encaixado. Não me arrisco a fazer elocubrações mais profundas sobre arranjos de cordas, em sonoridades diferenciadas e nem mesmo em questões semânticas e de montagem das letras. O que posso dizer categoricamente e, isso faço sem qualquer medo de melindrar meu relacionamento com outros artistas, é que trabalho de Os Arrais é algo diferente e diferenciado no segmento de música cristã brasileira. Não sei se os jovens poetas terão condições de fazer um segundo trabalho à altura de “Mais”, no entanto, posso assegurar que se este fosse seu último e definitivo trabalho, já consideraria Os Arrais como artistas de primeira grandeza e dignos de figurar em qualquer lista de melhor projeto artístico no meio gospel de todos os tempos!

A música “Não Fale” é afiada como uma adaga e ganha uma força ainda maior com a interpretação de Daniela Araújo – para mim, atualmente uma das artistas que mais evoluíram nos últimos tempos no cenário da música gospel no Brasil. De forma supreendente, na faixa seguinte, a parceria com Daniela é repetida, mas dessa vez numa versão bem mais intimista. A música “Rojões” fala de um jovem que foi convocado a cantar sobre as batalhas que nunca viu … não sei o que motivou a criação desta música, mas é magistral o argumento central da música e a imagem que me vem à mente é sempre daqueles guerreiros a la Mel ’Coração Valente’ Gibson. A canção “17 de janeiro” é fantástica, assim como a esmagadora maioria do repertório. Talvez este seja o CD com a melhor sequência de faixas lançado nos últimos tempos em nosso meio. Definitivamente este não é um CD para se ouvir de forma descompromissada! Como um conto de Clarice Lispector, a riqueza de detalhes não nos autoriza ter contato com o som de Os Arrais como se estivéssemos simplesmente passando tempo. Este é um álbum para degustar-se de pouco em pouco. É necessário ter tempo para observar e entender os recados. A riqueza deste trabalho é incontestável!

Não cabe neste momento estabelecer-se comparações. Felizmente tivemos nos últimos meses maravilhosos lançamentos do mercado gospel. Posso elencar 3 ou 4 excelentes projetos pentecostais como o novo álbum de Damares, o aclamado trabalho de Elaine de Jesus, o projeto de Lydia Moisés e Shirley Carvalhaes, apenas para citar alguns. Tem o CD Paz e Amor da dupla do novo sertanejo, André e Felipe. Outra grata revelação da música gospel neste momento. Tem o magistral CD do Oficina G3 que retomou o rock menos pesado de tempos atrás. também destaco o bom CD do amigo Joe Vasconcelos gravado integralmente em inglês. Ou seja, tem muita coisa boa disponível em nosso meio nestes tempos recentes. O CD “Mais” de Os Arrais é um CD de muita qualidade e que nos apresenta mais uma vertente para a já rica manifestação cultural que é o que hoje conhecemos como música gospel, ou música cristã como preferem alguns. Me senti estimulado a escrever um pouco sobre este trabalho porque sei que nossa maior barreira no mercado gospel brasileiro é justamente os canais de divulgação para projetos de qualidade como este de Os Arrais. Infelizmente, boa parte das rádios de nosso segmento estão terrivelmente influenciadas por suas respectivas áreas comerciais determinando o que deve ou não ser executado nas playlists das programações musicais. E isso, seguramente, vem prejudicando absurdamente aqueles artistas que simplesmente se preocupam em fazer algo de qualidade. E pior, acabam criando uma uniformidade de ‘sucessos’ impondo aos consumidores uma ignorância musical monstruosa! Mas isso é tema de mais outro texto …

 

Aproveite que hoje está cada vez mais democrático conhecer e adquirir os produtos lançados pelas gravadoras e procure conhecer um pouco mais da obra de Os Arrais, em especial, o CD “Mais”. Você já pode encontrar esse CD em algumas lojas pelo país – infelizmente muitos lojistas se esquivam de conhecer o trabalho de artistas jovens como este e acabam não ‘apostando’ na compra destes produtos. E quando procurados pelos clientes, inevitavelmente, põe a culpa na gravadora que não ofereceu o lançamento, é sempre assim! – e também pelo www.gospelgoods.com.br. Se preferir a versão digital, então é só buscar no iTunes e fazer o download de todo o álbum ou no sistema de faixa a faixa https://itunes.apple.com/br/album/mais/id650956155. Mas desde já adianto que “Mais “ não é um CD com duas ou três boas faixas, mas todo o repertório é fantástico, portanto, vale a pena comprar todo o álbum de uma só vez!

 

Espero que você curta esse CD tanto quanto eu e milhares de outras pessoas pelo país e exterior!

Mega abraço!

Mauricio Soares, publicitário, jornalista, palestrante e cada vez curtindo mais o som da Tanlan, outra banda que merece ser conhecida pela turma de fora do Rio Grande do Sul. Recentemente os meninos da Tanlan estiveram em Sampa e deixaram umaexcelente impressão por onde passaram. Fica aí mais uma dica!

Mauricio Soares, publicitário, jornalista, observador, caixeiro-viajante que morre de saudades de casa, atuando no mercado gospel há alguns anos e confiante de que em algum dia as coisas ficarão mais fáceis para todos nós que militam nestesegmento.

3 Comments

  • Roberto

    19/11/2013 at 10:02

    Comprei o ALbum no iTunes. E nunca reagi a um album como reagi ao dos Arrais, desde que comprei, não paro de ouvir. Sempre tenho uma música preferida, mas não enjoo das outras. Minha preferida do momento é rojões, mas já me deleitei com Não fale, esperança, mais, 17 de Janeiro, oração, a voz… E todas são marcantes. Quando imaginei que o gospel estava sem esperança de renovação, me aparece o arrais, diferene, porém muito profundo. Amei

    Responder
  • Jorge Lucas

    23/07/2014 at 23:50

    Letras simples e grandiosas que trazem a presença de Deus para as nossas vidas.
    quando ouvi, senti uma grande diferênça na forma como interpretam a música.
    Vcs Evoluiram a música gospel de uma forma incrivelmente maravilhosa.

    Que Deus possa usar e abênçoar mais e mais o ministério de André e Tiago Arrais.

    Responder
  • Gedalias Silva

    27/10/2014 at 12:52

    Sou apaixonado por este CD, como você bem disse, este não é um CD para se ouvir de forma descompromissada. Costumo a fechar os olhos e automaticamente meu corpo se movimenta no ritmo de cada canção, me pego então, em uma viagem pelas linhas de cada canção, degustando cada palavra, e sendo confrontado por letras profundas e inspiradoras.
    É difícil definir a “melhor música” do CD, em cada momento da minha vida quando ouço o CD Mais, uma música me toca de forma especial condizendo bem com aquela ocasião.
    Fazendo um trocadilho com a canção “17 de Janeiro”, eu olhei este álbum nos olhos e sorri…

    Responder

Deixe uma resposta