SHOPPING CART

Não dá para atropelar etapas: Respeitando o tempo e os caminhos.

EarlyBeatles

No fim de 2010 a Sony Music lançou um DVD Documentário apresentando a trajetória de uma das duplas ‘sertanejas’ de maior sucesso no país, Victor e Leo. Filmado com recursos de altíssima qualidade e contando com um roteiro realmente envolvente, o documentário é uma verdadeira viagem à história da dupla tendo como pano de fundo a trajetória da música sertaneja em nosso país.

Já tive a oportunidade de rever este documentário umas 3 ou 4 vezes tamanha a riqueza de conteúdo e imagens. No entanto, este material tem dois momentos que me chamaram muito a atenção e que serão o tema deste post após um período de merecidas férias. Peço desculpas sinceras aos meus 18 leitores do Observatório Cristão, mas eu realmente precisava descansar e dedicar-me à família após o ano mais intenso de minha vida profissional.

Num determinado momento, o cantor Leo conta sobre a experiência deles. Ele conta com muita tranqüilidade, de que já fazia um tempo considerável em que eles batalhavam por uma oportunidade numa gravadora mas até aquele momento apenas recebiam promessas e nada efetivamente se concretizava. Foram anos e anos de muita ralação, cantando em pequenos eventos, festas, bares, muitas das vezes por cachês irrisórios. Depois de tantos e tantos anos de estrada, eis que uma pessoa falou que a música deles era sucesso em Uberlândia e que eles deveriam fazer um show por lá … não irei contar a vocês o desenlace desse ‘causo’ porque é realmente emocionante ouvir o relato deles sobre esta experiência, mas o que vale a pena registrar é a perseverança deles em seguir um objetivo.

É óbvio que há uma conjunção enorme de fatores que somados no tempo e no espaço certos acabaram tomando uma proporção inimaginável até o estrelato. Não é uma conta racional, onde se você fizer isso ou aquilo, aliado ao talento natural, que irão transformá-lo num astro da música gospel mundial. Mas, posso garantir que se você não tiver força de vontade, confiança e persistência, certamente não conquistará seu espaço no mercado. O sucesso é sempre resultado de muito trabalho! Nunca se esqueça disso!

Ainda no documentário, diversos artistas e estudiosos do assunto participam com seus depoimentos falando da trajetória da dupla e de sua importância na história da música sertaneja no país. De Renato Teixeira a Sérgio Reis, passando por Chitaozinho e Xororó, várias personalidades contribuíram para esse documentário, mas uma participação em especial me chamou a atenção, a dupla Milionário e Zé Rico. Eles são verdadeiros desbravadores desse mercado do interior do país e conseguiram manter-se fortes e firmes como uma das principais duplas do país em meio a tantos modismos e estilos.

A certa altura do documentário, Victor e Leo falam das peripécias em cantar em bares. De como o primeiro cachê deles foi um sanduíche com refrigerante. Essa parte do DVD é muito boa mesmo! Naquele momento, Milionário e Zé Rico falam com surpresa deste currículo de Victor e Leo, pois eles não sabiam desse tempo de estrada anterior ao sucesso quando os dois se apresentavam pelos bares cantando por horas e horas. Neste ponto, Milionário e Zé Rico destacam a importância dessa experiência e afirmam que têm respeito para com aqueles artistas que começaram a vida artística nos bares e pequenos palcos.

Esta observação, me fez parodiar um pensamento voltado ao mercado gospel. Para mim, há uma relevância importantíssima a experiência de artistas que começaram pelas igrejas. Sim! Muito mal comparando, o palco dos pequenos bares são como os púlpitos das pequenas igrejas de bairro, com seus equipamentos de som precários e o público de 20, 30 pessoas para ouvir o artista se apresentando nas “oportunidades”. É fundamental que o artista que almeja cantar para multidões e fazer parte do cast de uma grande empresa, ter a experiência de começar de forma simples cantando em pequenos locais, para públicos ainda exíguos.

Infelizmente tenho visto postulantes a artistas do meio gospel já querendo iniciar seu projeto através de uma mega gravadora. E infelizmente muitos destes não acatam bem uma resposta negativa por parte de um A&R que entende ser muito cedo para aquele projeto ser incorporado pela gravadora. Artistas como Cassiane, Shirley Carvalhaes, J.Neto, Álvaro Tito, Luiz de Carvalho, só para citar alguns, tiveram experiências marcantes em suas vidas, tendo que viajar de ônibus por horas, às vezes dias, para atender a um simples convite de uma igreja local.

Hoje em dia, qualquer artista “juvenil” já começa viajando de avião, gravando CD, contando com um staff de apoio e tudo mais. No entanto, falta a muitos destes neófitos, tempo de estrada, de ralação, de expertise. E o melhor lugar para desenvolver-se como músico, em nosso meio, sem dúvida, é a igreja local. Nas igrejas e em seus eventos é onde se forja o artista do futuro, portanto, não abra mão dessa oportunidade! Não se iluda querendo atropelar etapas, porque esta experiência irá consolidar sua carreira e será fundamental para o seu futuro!

___________________________________________

Mauricio Soares, publicitário, jornalista, blogueiro, cozinheiro de fim de semana, tricolor e consultor informal para amigos que adoram umas dicas 0800.

38 Comments

Deixe uma resposta