Home Destaques Novas observações e conjecturas para 2014!

Novas observações e conjecturas para 2014!

Talvez eu esteja sofrendo pela falta de rotina em publicar novos textos por aqui no blog. Este deve ser o quinto ou sexto texto que inicio para ser publicado no Observatório Cristão desde a minha última postagem, o que ocorreu no fim de 2013. Os demais, por enquanto, não julguei à altura dos textos publicados até hoje no blog e por isso mesmo permanecem em stand by até que uma lufada de inspiração e criatividade surjam.

 

Como os atletas em início de ano imagino que esteja vivendo aquele período de recondicionamento físico, neste caso, criativo. Então, para não criar nenhuma tensão desnecessária, vou dar-me o direito deescrever neste post, pequenos textos, comentários e afins. Talvez assim eu possa me animar e voltar a escrever textos mais elaborados.

 

Retorno de uma viagem curta para a capital paranaense. Durante o dia inteiro tive a companhia constante dos amigos do Megafone, banda que vem se destacando bastante no cenário artístico gospel no país. Entre tantas atividades na abafadíssima e quente Curitiba deste dia, pude visitar a Rádio Gospel FM. Como sempre, fui muito bem recebido por toda a equipe, mas o que me chamou a atenção foi um excelente papo com o diretor artístico da emissora, Fabiano Lazarino. Entre tantos temas, destaque para a forma como ele lida com alguns aspectos importantes no seu dia-a-dia. A questão da escolha de seu play list merece registro. Para Lazarino, o importante é valorizar o seu público, portanto, a preocupação émanter a programação sempre atualizada com os mais recentes lançamentos. A prioridade é a audiência, o ouvinte! Música para os meus ouvidos! Ah! Como seria outra a história nos arraiais gospel se todas as demais emissoras e mídias seguissem esta mesma (básica) estratégia! Em apenas 7 anos de estrada, a emissora saltou do absoluto ostracismo para a terceira posição entre as FMs mais escutadas de Curitiba, rivalizando com duas das mais populares rádios da capital. Ou seja, priorizou a qualidade da plástica e da programação e colheu resultados consistentes. Óbvio demais? Pois é, mas por que tanta ‘diretor’ e ‘dono de rádio’ gospel prefere seguir outra linha? Vai saber …

 

Aproveitando este gancho, não posso deixar de complementar este assunto sem mencionar algo que me incomoda há muito tempo e que surgiu em meio a uma conversa com um grande amigo e profissional que seguramente é um dos caras que mais conhece sobre rádio gospel pelo Brasil.Neste papo ele me dizia da dificuldade que encontrava em divulgar um determinado artista que já àquele momento figurava no cenário gospel como um sucesso nacional. Ele dizia: “Recebo ligações de diretores de rádio me pressionando por agendas para shows ou mesmo apresentações em igrejas. Eles me oferecem permutas para tocar nossa música ou como dizem ‘pra estourar o artista na região’. Aí atendemos ao convite. E muitas das vezes somos mal recebidos, ficamos em hotéis sem conforto algum, temos de nos apresentar em 2, 3 cultos num mesmo dia. Naquele período que antecede nossa apresentação, a música fica na liderança entre as mais pedidas. Só que no dia seguinte de participarmos do evento, a música simplesmente é abduzida da programação. A música some … assim do nada …”

 

Seguindo na conversa ele também comenta que quando um “convite” (só que não!) como este não é aceito porque a data estava ocupada ou algo do tipo, a represália sobre o seu artista é fortíssima! A rádio não só não toca mais nada como fazem questão de ‘queimar’ o artista junto aos pastores da região e até mesmo de outras emissoras. Ou seja, terror total!

 

Completando esse papo, lembramos daqueles donos de emissoras ou programas na TV, geralmente mega-ultra-blaster-líderes que diariamente vão aos seus canais de mídia pedir ajuda aos contribuintes, membros, patrocinadores e coisas do tipo. Quase chorando (alguns até chorando de fato, se debulhando em lágrimas, oh! quanta tristeza!) pedindo pela ajuda para pagar os investimentos de se manter o programa no ar. E aí, 100% das vezes o argumento fatídico é de que devemos contribuir para o REINO, afinal ele está ali para anunciar as boas novas (também para vender pacotes para Israel, livros, DVDs, seguro de vida, auxílio funeral, plano odontológico e o que mais surgir pela frente). A grande verdade é que eu nestes anos todos de estrada, desconheço veementemente que ‘reino’ é este … na verdade, o que vejo de verdade é cada um cuidando do seu próprio reino, ou feudo ou qualquer coisa do tipo.

 

Dias atrás o meu divulgador em São Paulo me mandou um email comemorando o agendamento de uma artista em pleno período de divulgação de seu novo trabalho em um programa de TV. O email dizia: Muito bom! Acabamos de agendar a artista XXXX no programa YYYYY. Exatos 5 minutos depois, outroemail surge em minha caixa postal. O mesmo divulgador me manda outra mensagem dizendo: Foi desmarcada a participação da cantora XXXXX no programa YYYYY. O motivo alegado é de que ela é ex-artista da gravadora ligada ao grupo empresarial – também conhecido como reino. E também porque ela agora faz parte da gravadora concorrente … o que eu posso responder numa situação destas? Simplesmente nada! Vamos viver!

 

Então, para concluir, até quando iremos ter que conviver com estas práticas? Quando vejo cristãos reclamando pelo pouco espaço para a música gospel nos canais seculares, o que me vem à mente de imediato é como podemos exigir melhor tratamento e maior espaço por parte dos ‘gentios’ se nem ao menos os nossos ‘domésticos da fé’, os líderes e grandes denominações evangélicas abrem espaço e tratam com o devido respeito os artistas do segmento?

 

Acho que cabe a nós um exercício mais analítico de tudo o que vem acontecendo no segmento evangélico brasileiro nestes tempos. não dá para simplesmente aceitar um monte de gororoba, de práticas abusivas, decoisas mal explicadas, de atitudes nada condizentes com os preceitos e doutrinas cristãs. Espero que 2014 seja melhor do que 2013, especialmente na questão de valorização da música cristã pelos líderes e ‘profissionais’ que estão à frente das mídias do segmento.

 

Pronto! Procedimento de descida iniciado. Até que a inspiração veio … deve ter sido o ar rarefeito … e outros temas já me vieram à mente. Que bom … parece que agora vai! Aproveito para agradecer o carinho de tantas pessoas que encontrei durante meu período de férias! Gente que confessou ler este blog e utilizá-lo como ferramenta de trabalho. É muito bom receber este feed back porquemuitas das vezes tenho a clara sensação de que escrevo e me comunico simplesmente comigo mesmo, o que não é de todo ruim! Desejo aos 66 (se é que eles ainda existem!) leitores um ano novo de muita paz, amor, bom humor e boa música!

 

Desligando o computador em 5, 4, 3, 2, 1 …

Mauricio Soares, publicitário, amante de bons papos, coach, jornalista, pai do Fernando, Leonardo e Benjamim, meu trio de ouro!

P.S. – Já tendo finalizado este texto, recebo um link do vídeo do Jonathan Nemer. Tomo a liberdade de inserir este vídeo neste post porque de alguma forma está ligado a alguns aspectos mencionados acima.

http://www.youtube.com/watch?v=KrqAvvN1TWA&feature=c4-overview&list=UUOOkCYthHdrpCZdytAT63GQ