Novos Kits de Evangelismo

OBC_Kit_WallStreet-e-Biblia-copy

Duas notícias nestes últimos dias envolvendo lideranças evangélicas geraram comentários acalorados a favor e contra, repercutindo bem o clima de Copa do Mundo com torcidas inflamadas defendendo suas seleções. A mais importante e surpreendente deu-se com o desligamento do vice-presidente da CGADB, o megaempresário, apresentador de TV, conferecista, palestrante e agora pastor local, Silas Malafaia. Utilizando-se de seu espaço na TV, o multiempreendedor justificou sua decisão deixando uma enorme dúvida no ar sobre seus reais motivos, mas apelando para a já conhecida “atendendo à vontade de Deus” e vaticinou de que no futuro, esta atitude será bem entendida por todos (o que é que podemos esperar de tão horripilante!?!?). No entanto, passados poucos dias da bombástica decisão, eis que a revista semanal mais importante do país, VEJA, publicou na edição desta semana o que pode ser a verdadeira estratégia de Malafaia ao desligar-se da Convenção das Assembléias de Deus, ou seja, a vontade (ou seria um ‘chamado divino’?) de implantar mais uma denominação evangélica no país.

Com a morte de seu sogro e pastor, José Santos, recentemente, Malafaia assumiu a direção da tradicional Igreja Assembléia de Deus da Penha, localizada na zona norte da capital carioca. Além de desligar-se da CGADB, Malafaia decidiu mudar o nome da igreja para Vitória em Cristo, coincidentemente, o mesmo nome da empresa da qual Silas é proprietário e onde se aglomeram a editora, programa de TV, gravadora, entre outras atividades. O texto da VEJA destaca na coluna Radar da Edição 2.168 a seguinte nota:

RUMO AOS 1000 TEMPLOS — O televangelista Silas Malafaia está sedento. Sua meta é implantar, nos próximos cinco anos, 1000 templos pelo Brasil afora. Hoje, ele comanda 97 igrejas. O plano só será possível porque o pastor deixou, há duas semanas, a vice-presidência da Convenção Geral das Assembléias de Deus no Brasil, que congrega 6 0% dos pastores da denominação, Malafaia saiu afirmando que a direção se tornara um “caso de polícia”. Na semana passada, o tesoureiro fez o mesmo, dizendo haver “tremendas irregularidades”. Se as acusações forem comprovadas, será um ganho duplo para Malafaia: ele ficará livre dos problemas e também das amarras que a organização impõe à criação de templos em áreas de outros pastores – Coluna Radar por Paulo Cesar Pereira

Se a intenção do Pr. Silas Malafaia é de ampliar a presença evangélica no país, que tal buscar junto à SEPAL, entidade que detém as melhores pesquisas da distribuição evangélica no país, um estudo apurado onde mais se necessita a implantação de trabalhos missionários, regiões como o sul do país e o interior do Nordeste. Até porque, centros urbanos como Rio de Janeiro, São Paulo e Belo Horizonte já podem ser considerados como regiões onde a presença evangélica é bem representada. Vamos aguardar as cenas dos próximos capítulos e ver como esta novela irá se desenrolar!

A segunda notícia bombástica tem a ver com a saída de um dos mais importantes líderes no comando da Igreja Mundial do Poder de Deus, dirigida pelo Apóstolo Valdomiro Santiago, aquele que anda desancando o “tio” – expressão usada pelo Apóstolo ao se referir ao Missionário R.R.Soares em seus programas de TV. Considerado o terceiro mais importante líder na hierarquia da igreja, o Bispo Roberto Damásio desligou-se da Igreja Mundial e ato contínuo inaugurou a Igreja Mundial Renovada. É isso mesmo! Não só saiu da igreja como utiliza um nome similar ao do ministério original, é mais um caso de “marketing da confusão ou carona”, ou seja, utilizar-se da distração do consumidor, neste caso leia-se “fiéis” para conquistar mercado baseado na imagem e sucesso de uma marca concorrente. Mas, péraí, estamos falando de igrejas ou de produtos? Ah! Deixa pra lá! Nossa missão neste blog é só informar, o juízo fica por conta de você astuto e inteligente leitor (a).

___________________________________________

Mauricio Soares

12 Comments

Deixe uma resposta para Gospel no Divã Cancelar resposta