O fim do monopólio na divulgação da música

Sigo em minha campanha pela reconquista dos 66 leitores assíduos do Observatório Cristão depois de algum tempo de ócio não produtivo em que não postei absolutamente nenhum texto inédito no blog, o que acabou desestimulando metade de meus fiéis leitores de até então. Espero que a partir de agora eu consiga produzir mais conteúdo para o blog e também trazer algumas novidades que aumentem o tráfego de observadores para este espaço que se mantém ativo nos últimos quase 8 anos.

E o texto de hoje segue um pouco a linha do último post publicado e que me parece alcançou boa visibilidade e comentários bastante positivos. Talvez neste momento já tenhamos recuperado mais uns 2 a 3 leitores, quem sabe?!?!? Sigo tratando de temas relacionados ao mercado digital e as transformações que esta novidade vem causando em diferentes esferas de nosso meio.

Até bem pouco tempo atrás, uma música era considerada sucesso quando figurava entre as mais executadas pelas FMs em todo o país. E é bom que já deixemos bem claro, que música “mais executada“ não significa que seja também a “mais pedida pelo público”, pois nem sempre as emissoras seguem este critério em suas programações. Mas voltando ao assunto central, sonho de consumo de 10 entre 10 artistas era ligar o rádio e ouvir sua música sendo veiculada naquela FM. Durante muito tempo as emissoras de rádio de determinadas regiões do país tinham o poder de definir se este ou aquele artista seria sucesso ou não por aquela praça. Com isso nos deparamos com diretores de rádio, programadores e, principalmente donos de rádio, assumindo papéis de ‘todo-poderosos’, de Midas, de Césares definindo com seus dedos polegares para cima ou para baixo se este ou aquele artista alcançaria a glória e os louros pela conquista. E seguindo o critério pessoal ou interesses outros, nos deparamos com artistas de muito talento sendo preteridos muitas das vezes por artistas de quinta categoria, sem qualquer qualidade técnica, carisma ou mesmo seriedade na vida com Deus, simplesmente porque estes últimos eram beneficiados por quem tinha o poder nestas emissoras.

Para quem acompanha meus textos aqui publicados e mesmo já teve oportunidade de participar de algumas de minhas palestras ou até em papos informais, sabe o quanto busquei e ainda busco por uma melhor condução na relação entre emissoras de rádio e conteúdo artístico musical. Uma de minhas grandes lutas é justamente buscar por uma nova forma de se enxergar a música como ferramenta para o aumento de audiência de rádio. Não é lógico que uma emissora de rádio tenha uma playlist que não tenha como foco principal atender ao gosto e demandas do público-ouvinte. É fundamental que uma rádio, na busca pela audiência, tenha a música como principal chamariz para atingir este público, mas infelizmente o que vemos são artistas e gravadoras sendo subjugados por emissoras que creem não depender da boa música para conquistar e manter seu público e, assim, subir em audiência e consequentemente, ter uma boa posição no Ibope ou em outros institutos de pesquisa.

Esta relação até pouco tempo atrás era completamente desequilibrada pendendo para o lado das rádios a importância maior no processo. Só que neste momento estamos diante de uma radical, profunda e sensível transformação que promete reequilibrar ou mesmo virar esta balança para um novo lado. Se até recentemente os principais canais de divulgação de massa de conteúdo musical eram as emissoras de rádio, hoje em dia observamos a relevância crescente de canais de vídeo na popularização de artistas e músicas. Há inúmeros casos de artistas que tornaram-se sucesso na internet e só depois passaram a integrar o cast de gravadoras. Outros tantos sequer optaram pelo caminho natural de fazer parte de uma gravadora e seguiram mantendo suas carreiras de forma independente utilizando-se das inúmeras ferramentas tecnológicas disponíveis hoje em dia.

Além das plataformas de vídeo como ferramenta de divulgação, outra novidade que atinge em cheio a hegemonia das emissoras de rádio é justamente as plataformas de streaming como Deezer, Spotify, entre outras. Através destes serviços o usuário tem acesso a milhões e milhões de músicas do mundo todo, além da possibilidade da criação de playlists exclusivas, o que na verdade, nos torna ”donos” de nossa própria emissora de rádio. Ou seja, mais uma vez observamos que todo o poder das rádios em definir o sucesso cai em definitivo com a chegada das novas ferramentas e plataformas tecnológicas. Não estou afirmando que a partir de agora as emissoras de rádio perdem sua importância no processo de divulgação de artistas e músicas, mas digo claramente que estas deixam de ser quem determina exclusivamente se este ou aquele projeto será um sucesso. O que observamos é um maior equilíbrio entre as partes envolvidas neste processo.

Na verdade, estamos diante de um momento crucial na história, principalmente para as emissoras de rádio. A quantidade de canais de entretenimento disponíveis hoje em dia aumenta radicalmente a concorrência pela atenção do público. São tantos aplicativos, games, ferramentas, redes sociais, TVs a cabo com centenas de canais, plataformas de streaming, canais de comunicação … ou seja, reter a atenção do público torna-se cada vez mais difícil e aí, se as emissoras de rádio com programação gospel não se atentarem e agirem de forma adequada, certamente observarão a queda de audiência de suas programações e a perda de relevância.

Creio que uma das mudanças imediatas que as emissoras precisam implantar é justamente a forma com que lidam com o conteúdo artístico de suas programações. A música deve ser motivo de atração de audiência, a qualidade da programação deve refletir a importância que a emissora dá ao seu público. Canais de comunicação entre a emissora e o público devem estar constantemente abertos para que decisões e estratégias sejam corretamente tomadas.

Do ponto de vista dos artistas, mais uma vez ressalto a importância de se investir em conteúdo visual e em ferramentas digitais. Outra importante estratégia é buscar contato com rádios on line que pululam pela web. É um trabalho braçal de pesquisa, mas que realmente traz bons resultados. O avanço do mercado digital de alguma forma está democratizando o acesso do público a novos conteúdos e os artistas precisam se valer desta nova onda. Basta ter foco e trabalhar bastante!

 

Mauricio Soares, publicitário, jornalista, profissional de marketing e que nos próximos dias estará curtindo alguns merecidos dias de descanso em família.

Mauricio Soares, publicitário, jornalista, observador, caixeiro-viajante que morre de saudades de casa, atuando no mercado gospel há alguns anos e confiante de que em algum dia as coisas ficarão mais fáceis para todos nós que militam nestesegmento.

17 Comments

  • Danilo Andrade

    10/02/2015 at 09:48

    Maurício, concordo plenamente com seu texto. De fato “a roda gigante está girando”, mas é uma pena que o artista gospel ainda não tenha entendido isso. Sei que o seu texto dá um enfoque à mudança de postura das rádios, mas é preciso também que os artistas mudem. Ainda hoje tem artista que tem como referência de sucesso ter a música sendo tocada na tal FM X, mas deixam suas redes sociais e sites desatualizados ou não possuem estratégias para usar essas ferramentas principalmente o YouTube. O que posso notar é que não são os artistas que tem buscado usar as ferramentas que a era digital trouxe, mas o público que tem forçado essa postura e muitos ainda veem como algo de pouco interesse. Isso porque demanda justamente esse “trabalho braçal” que na maioria das vezes os artistas não querem, não tem habilidade ou disponibilidade para fazer e não contratam pessoas qualificadas para fazerem por não achar relevante ou que valha o investimento. Abraço!

    Responder
    • Mauricio Soares

      10/02/2015 at 14:02

      Danilo, o recado está dado e quem tiver o mínimo de inteligência e vontade de se manter firme nesse segmento terá que mudar suas convicções. Obrigado por ser mais um dos 66 leitores de nosso blog!

      Responder
  • Nicoli Francini

    10/02/2015 at 13:09

    Eu sou leitora deste blog ha muito tempo mesmo antes de conhecer o autor pessoalmente, comento pouco nos textos mas estava esperando a muito tempo um texto que tratasse deste assunto sempre fiz parte dos artistas que se desesperavam pela musica não estar tocando no rádio, não sei como funciona em outros estados mas sei que aqui no Paraná você só toca se realmente tiver um amigo ou parceiro na emissora o que por muitos anos dificultou muito o trabalho de divulgação, mas lendo muito e pesquisando sobre o mercado digital percebi que há uma luz no fim do túnel para nós que temos como arma a internet, ainda é preocupante não ter sua musica tocando nas principais Rádios Fms, mais é possível alcançar resultados muito satisfatórios realizando o trabalho com a Internet, acredito firmemente que todos os meus cds que já foram vendidos ou alguma musica que tenha ficado conhecida tenha sido resultado exclusivo da Internet onde dedico grande parte do meu tempo para trabalhar em prol da divulgação, percebo que todo o trabalho é lento mas que a longo prazo nos trás ótimos resultados, Obrigada pelo blog Mauricio Soares estou entre os leitores assíduos a muito tempo e tenho me inspirado para escrever no meu próprio blog, Um grande Abraço.

    Responder
    • Mauricio Soares

      10/02/2015 at 14:02

      Nicoli, que bom ver que você está entre nossos leitores do blog. Mais do que ter o simples prazer de escrever e de ser lido por alguns, meu objetivo com esse blog sempre foi o de ajudar os profissionais de nosso segmento. Infelizmente pelo que tenho visto nos últimos anos, há muita gente precisando ler e se atualizar nas informações, mas poucos ainda são os que lêem e menos ainda os que buscam mudanças. Com isso, abre-se espaço aos que querem sair na frente! Go ahead!!

      Responder
  • Sulamita Vieira

    11/02/2015 at 16:31

    Comecei a ler este blog no inicio do ano passado…E até então não consegui mais parar de ler!
    Com ensinamentos de uma pessoa tão experiente e humilde como você, Mauricio Soares é muito gratificante para nós cantores gospel que muitas vezes não sabemos como agir em meio a tantas dificuldades que passamos até chegar ao objetivo final. E você tem nos dado essa força nos ensinando e nos orientando a cada dia sermos melhores e abrindo mais a nossa mente com suas escritas e experiências na área musical.
    Nós cantores gospel temos em mente que devemos esperar o tempo de Deus pra tudo acontecer, certo e concordo plenamente, mas muitas vezes não temos um profissional sério para nos orientar a como chegar e não errar tanto! e você sem cobrar nada tem tirado o seu precioso tempo escrevendo para tentar abrir nossa mente!
    Eu, pessoalmente já estou colocando tudo em prática kkk e espero um dia chegar pessoalmente e até mesmo publicamente e te agradecer por vc existir em nossas vidas! Obg!!

    Responder
    • Mauricio Soares

      12/02/2015 at 12:46

      Obrigado por sua mensagem! Este blog surgiu como apenas uma forma de dividir meus conhecimentos adquiridos nestes anos no meio. Nunca foi e espero que nunca seja algo pesado e entediante. O blog é antes de mais nada um prazer pessoal e fico feliz que de alguma forma também esteja ajudando a outras pessoas. Continue sendo uma de nossos 66 leitores assíduos!

      Responder
  • David Machado

    12/02/2015 at 18:44

    Interessante, como sempre! Eu como uns dos 66 leitores fieis, resolvi passar a comentar no próprio blog haha. Eu estive pensando Mauricio, tem alguns cantores que não ultilizam muito a plataforma do YouTube no caso para CLIPE. Vejamos, muitas das músicas populares ficam conhecida por causa do CLIPE e não pela música em sí. Um exemplo que posso colocar de pessoa que tem ultilizado essa plataforma muito bem é a Beyoncé. Mau ouvimos o CD e tem um monte de clipe para assistir, e ela solta tudo de uma vez. É claro, que é uma explosão de sucesso! Infelizmente a “área gospel ” está bem atrasada para isso (não generalizando) poucos são os cantores que ultilizam dessa plataforma para clipes, e se contar que alguns quando ultilizam demoram um tempão para lança-o e não tem aquela receptiva tão grande da música, como tinha antes na hora que lançou o CD. A cantora Damares e o Leonardo Gonçalves sem dúvida são os cantores gospel que mais tem aproveitado essa plataforma, como podemos perceber, e tem se dado muito bem. Isso me faz pensar, o cantor(a) teria um retorno de aumento, nas vendas do CD, se aproveitasse mais essa plataforma? Eu, acredito que sim, realmente iria ajudar bastante. O cantor tem um CD com 16 faixas, no minimo ele deveria lançar uns 8 a 9 clipes para dar mais um UP em seu CD. Afinal, ouvir 16 músicas requer paciência rsrs. O ser humano gosta de muitas coisas só por ver. Um exemplo um bolo, não estamos com fome mais só de olharmos aquela coisa atrativa já queremos comer. Outra coisa é que ninguém merece ficar vendo clipes gravados sempre em praias (sem criatividade) Inovar é uma palavra desconhecidas por alguns, sem contar das propagandas desnecessárias no video, que sem querer acabo clicando enquanto assisto, o que eu realmente deveria ver a arte não consigo ver. Espero uma evolução ainda na área gospel, acredito que estamos no caminho mas poderiamos apressar mais os passos!

    Responder
    • Mauricio Soares

      13/02/2015 at 01:56

      Sua análise é perfeita! Realmente os clipes deixaram de ser meros vídeos para divulgação e tornaram-se além disso, importantes fontes de receita. Cada vez teremos mais CDs sendo trabalhados também através de vídeos. Um disco, em média, deverá ter entre 4 a 7 músicas em vídeo, seja através de clipes, pseudo vídeos, lyric vídeos ou studio videos. O importante é que estes conteúdos estejam no YouTube/VEVO. Obrigado por participar de nosso blog com suas opiniões. Abs

      Responder
      • Deque Borges

        18/02/2015 at 12:22

        Oi Maurício, depois de pesquisar aqui na net, percebo que a VEVO é um meio que somente as gravadoras tem acesso para postagem por ser criada a partir de uma parceria de gravadoras… me parece que o grande público não tem acesso de postagem lá, estou certo? De qualquer forma, o meio muito utilizado pela VEVO na divulgação dos seus vídeos é através de canal no Youtube… assim, Youtube é a grande mídia de vídeo!! (gostaria de um retorno, porque posso estar errado…).

        Responder
  • Deque Borges

    15/02/2015 at 16:30

    Maurício, acompanho suas publicações (em vários meios) há muito tempo. Suas publicações representam meu pensamento no quesito “música gospel” e também em muito tem contribuído na minha vida pessoal e na forma de compor canções. Tudo isso que você discorreu aqui tem se percebido na prática. Para um artista desconhecido, mesmo tendo a disponibilidade ($$$$), é difícil achar um contato dentro de uma rádio FM de uma capital para se pagar o conhecido “jabá”. Em contrapartida, existem recursos nos meios digitais com pouca burocracia e que oferecem resultados surpreendentes. Assim os artistas independentes tem “mil e uma” ferramentas nesse cenário digital que oferecem possibilidades reais de ascensão, de serem vistos e ouvidos. Acredito que um bom exemplo é a Marcela Taís que hoje faz parte do cast Sony Gospel (acho que usei um exemplo adequado…); foi notada através das altas views em seus canais. Em fim o importante é ter foco, e como você, Maurício, já comentou em outros posts, ter em primeiro lugar um excelente repertório (isso rende muita discussão) e depois os demais itens que representam o mínimo para aceitação do público que é originalidade, boa produção musical, musicalidade, carisma etc. Também estou nessa labuta ao Produzir uma artista bastante talentosa da minha igreja (Feira de Santana – Ba). Abração.

    Responder
    • Mauricio Soares

      17/02/2015 at 15:08

      Feira de Santana é celeiro de artistas muito talentosos! Capriche na produção e esteja atento aos detalhes, sempre! Sobre a divulgação, o caminho é digital que hoje nos apresenta como mais barato e mais eficaz. Que bom saber que lê nossos posts e curte o blog. Acho que aos poucos podemos comemorar mais do que 66 leitores …

      Responder
  • Rosimery Cruz

    16/02/2015 at 22:28

    Amei o Blog! Sempre leio as publicações. Sobre este post… Muito aproveitável como todos os outros. Pra gente que está começando agora também (cantora, no caso) ficamos até meio perdido quanto a isso. Rádio, YouTube, etc. Aqui no interior todo mundo”ainda” ouve rádio!Porém rádios seculares, dificilmente se ouve músicas evangélicas. Sempre achei o YouTube melhor meio de divulgação. #SeguindoSeusConselhos

    Responder
    • Mauricio Soares

      17/02/2015 at 15:07

      Que bom que curtiu nossa postagem! Para cantores iniciantes é muito interessante dar uma pesquisada nos textos mais antigos publicados aqui no blog. Acho que as dicas servirão para errar um pouco menos nesta área! Obrigado por seu comentário!

      Responder
  • Isac Soares

    19/02/2015 at 13:45

    Que escola! Qualquer um que esteja postulando uma carreira artista deve ser presença certa por aqui. Valew Mauricio!

    Responder

Deixe uma resposta