SHOPPING CART

Observando as oportunidades na web

order

O consumo através da web deixou de ser algo promissor para tornar-se realidade. No Brasil há uma mudança significativa acontecendo entre os players deste mercado. Em matéria disponibilizada pela Agência Estado para o Jornal Primeira Chamada de 13 de setembro de 2010 abordou-se a queda de participação da líder B2W entre os sites de vendas de bens de consumo. Confiram a matéria e na seqüência abordaremos o potencial de vendas para o mercado religioso na web no Brasil.

VAREJO ON LINE – Concorrentes gigantes afetam liderança da B2W

“No últimos quatro anos, o total de brasileiros com acesso à internet mais do que dobrou, passando de 31,9 milhões em 2005 para 67,9 milhões no ano passado, segundo o instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O faturamento do varejo on line avançou respeitáveis 40% no primeiro semestre, quando comparado ao mesmo período de 2009, somando R$ 6,7 bilhões, de acordo com a consultoria E-bit. A expectativa de crescimento para este ano é de 35%.

Diante de tantos números superlativos, a liderança do varejo virtual brasileiro pode parecer uma posição confortável. Longe disso. A B2W, protagonista desse mercado, enfrenta competição cada vez mais acirrada de varejistas tradicionais. Dono da Americanas.com, do Submarino e do Shoptime, o grupo tem registrado queda de participação e perda de valor de mercado.

“Não é inesperado crescer abaixo do mercado quando se é líder”, disse Juliana Campos, analista da Ativa Corretora. “Mas a queda da margem bruta mostra que a empresa está realmente apanhando da concorrência”. Segundo Juliana, a margem de lucro da B2W caiu 1,1 ponto porcentual no primeiro semestre, quando comparada ao mesmo período de 2009, para 20%.

O discurso da B2W ao mercado é de defender a rentabilidade, mesmo à custa de participação. No primeiro semestre de 2007, a empresa tinha quase 60% do mercado. No mesmo período deste ano, caiu para menos de 40%. Procurada, a empresa preferiu não dar entrevista.

A concorrência à B2W se fortaleceu nos últimos anos. Em outubro de 2008, o WalMart começou a vender pela internet no País. Em fevereiro de 2009, foi a vez da Casas Bahia e, em março de 2010, do Carrefour. Essas operações vieram se juntar às de outros grandes, como Extra, Magazine Luiza e Saraiva, na briga pelo mercado dominado pela B2W. a ameaça será ainda maior quando a NovaPontoCom, empresa que será responsável pelos sites do Extra, Ponto Frio e Casas Bahia , estiver em operação plena.”

Como sempre procuramos dar uma visão do mercado cristão às notícias do cotidiano, esta matéria acima trouxe o foco de nosso pensamento para a enorme possibilidade que temos de desenvolver um mercado consistente de consumo pela web. Ainda percebemos muito incipiente o mercado de lojas on line voltadas para o segmento cristão. Geralmente estas lojas atualmente são um emaranhado de produtos, de títulos, muitas das vezes completamente desatualizados das novidades. É notório ainda, que não percebemos nestas lojas um trabalho apurado de CRM ou mesmo de análise de hábitos de consumo. Os clientes simplesmente adquirem os produtos motivados pela divulgação das gravadoras, editoras e fornecedores em geral. Ou seja, o trabalho de venda hoje nas lojas virtuais do segmento gospel é absolutamente espontâneo. Não há ciência, estratégia ou mesmo um trabalho técnico mais elaborado.

Recentemente participamos da nona edição da Expo Cristã. Este talvez tenha sido o mais concorrido evento dos últimos anos com lojistas, fornecedores, público em geral demonstrando uma vontade grande de consumir e se inteirar às novidades do mercado. Percebemos claramente que neste ano teremos um Natal bem mais próspero em termos de vendas que nos anos anteriores. É notório o crescimento do mercado consumidor cristão no país. Entre tantas outras oportunidades que surgem neste universo, talvez uma das mais significativas seja a do comércio web! Se você é empreendedor e procura algo interessante para investir para os próximos anos, pense atentamente no mercado virtual como uma excelente opção de negócio, não só para o futuro, mas já para o presente!

Procure analisar os players atuais do mercado secular. Conheça também os atuais sites de vendas on line do mercado gospel. Veja as virtudes e deficiências destes serviços e pense seriamente em fazer parte deste mercado que tem tudo para literalmente tornar-se muito interessante nos próximos anos. Fica a dica!

__________________________________

Mauricio Soares, publicitário, consultor de marketing. Entusiasta do mercado religioso e sempre apoiador de iniciativas e empreendimentos para fortalecer este segmento.

13 Comments

Deixe uma resposta