Home Eventos Pequeno resumo da Expo Evangélica em Fortaleza

Pequeno resumo da Expo Evangélica em Fortaleza

1 459

O vôo de volta para casa após dias e dias em Fortaleza por ocasião da Expo Evangélica está sendo bastante longo e produtivo. Como estou optando em não capotar de sono … vou distraindo-me escrevendo novos posts, finalizando outros conteúdos e trabalhando, respondendo aos e-mails que acumularam em minha caixa postal por estes dias.

Enquanto escrevo, vou acompanhando minha playlist com canções selecionadas no mais apurado critério. Leonardo Gonçalves, Gabriela Rocha, Deise Jacinto, Os Arrais, André e Felipe, Estêvão Queiroga, Kemuel, Seo Fernandes … e por aí vai … só música de excelência!

Como sempre comento, tenho algumas décadas de experiência no mercado cristão. Participei de dezenas e dezenas de feiras ao longo destes anos. Tenho um carinho muito especial pela Expo Evangélica de Fortaleza por alguns motivos. Em primeiro lugar pela forma incrível que o idealizador, Francisco Ewerton (fala-se Evééééérton, no dialeto cearês!) e sua família nos recebe a cada ano. Estou pra conhecer uma família tão unida, coesa, comprometida, acolhedora e agradável. Nota 1000! Em segundo lugar, a Expo já está no calendário oficial do segmento gospel. Tanto as principais empresas, como principalmente os próprios artistas e mídias já se programam por todo o ano para marcar presença no mês de julho em Fortaleza. Os resultados também são incríveis. Especialmente para os artistas, a Expo é uma oportunidade de receber o carinho do público, divulgar seus projetos nas mídias do segmento e seculares, estar mais perto dos outros artistas, fazer apresentações nos mais variados palcos do evento e de fato, trabalhar muito, mas divertindo-se na mesma proporção. No meu caso, a Expo Evangélica é um grande trabalho de branding, de posicionamento da marca Sony Music perante à mídia e ao público. Conseguimos ao longo dos dias reforçar a relevância da empresa no segmento trazendo o conceito de qualidade, simpatia, inovação e presença, isto é fato!

Nesta edição de 2017 quero destacar alguns fatos que certamente entrarão para a história da Expo Evangélica de Fortaleza. Vamos aos nomes e fatos …

A grande revelação. Sem dúvida alguma, se houve alguém que chegou sem qualquer expectativa à capital cearense, esta pessoa atende pelo nome de Séo Fernandes. O baiano boa-praça, com seus dreads na cabeça, suas batas coloridas, sua linguagem mansa e cantada, foi a grande revelação da décima-segunda edição da Expo Evangélica. Com apenas 2 apresentações no palco principal do evento, o baiano conquistou a atenção de todo mundo. Na primeira oportunidade, Séo e sua banda pra lá de competente, em apenas 2 canções tomou de assalto o pavilhão do Centro de Eventos do Ceará e colocou todo mundo para cantar a plenos pulmões … “Graça, uhuuuu … abundante graça …”, daí em diante nada mais foi o mesmo! As pessoas ficaram completamente hipnotizadas pelo gestual, pelas danças, pela intensidade do show de Graça, Tambor e Cordas, nome do álbum de estréia do artista baiano. Já no dia seguinte, uma apresentação mais completa com 30 minutos de duração que transformou o ambiente por completo. Comentário mais ouvido pelos bastidores: O Séo teve o público nas mãos e poderia fazer um show de 1 hora e meia e ninguém sairia reclamando! Quanta pressão! Quanta qualidade! Que banda é essa hein!?!?! De fato, neste ano, o nome mais comentado, mais aclamado, foi o de Séo Fernandes. Do meu ponto de vista, estamos diante de um novo artista a integrar o primeiro time do mainstream gospel. É uma questão de tempo, não mais do que 1 ano e Séo Fernandes será reconhecido nacionalmente, não somente por sua música, qualidade, mas também pelo conteúdo teológico que possui. A Bahia sempre nos reservando boas surpresas! Aba Paêêêê …

O grande destaque. Ela trabalhou como ninguém. Se tinha uma entrevista, mesmo que tendo que sair do hotel às 5h20, a incansável estava sorridente, feliz e muito bem disposta. Sem dúvida, foi quem mais teve a imagem vinculada à Expo Evangélica em 2017. Quem mais atendeu mídias, quem mais fez selfies, mais participou das ações de promoção e divulgação. Estou falando de Priscilla Alcântara, jovem estrela de popularidade além do segmento gospel. Por onde ela passou, gerou atenção de jovens, meninos, meninas, adultos, crianças … é impressionante o carisma desta artista! No palco principal, foi a única a apresentar-se durante todos os dias, arrebatando o público com toda a intensidade. Ao longo destes anos trabalhando no meio gospel, tive oportunidade de trabalhar com inúmeros artistas, alguns dos mais relevantes do segmento. Posso assegurar que poucos foram os artistas que deram tanto prazer em estar junto trabalhando como a Pri (como a chamo carinhosamente!) … ela ainda vai longe! E além de tudo isso, possui uma fluência de raciocínio impressionante! Suas entrevistas são sempre bastante profundas e rendem bastante (dependendo do jornalista é claro!). Pequena notável!

O momento mais emocionante. Uma música que atingiu mais de 100 milhões de views e que foi a mais executada nas rádios do segmento no Brasil em 2016. Este é o resultado de “Ninguém Explica Deus” em pouco mais de 1 ano e meio de lançamento. A música é um hit e nada mais natural que ao longo do tempo, chegue a um nível de saturação junto ao público, justamente pelo seu próprio sucesso. Pois com esta canção tudo é diferente. Na primeira apresentação do Preto no Branco em versão reduzida, apenas Wesley e Clóvis Pinho, no palco principal da Expo Evangélica, já nos primeiros acordes de “Ninguém Explica” o público veio ao delírio e cantou sozinho toda a música. Ou como disse o Clóvis, o público ‘tirou a música da boca do artista e assumiu a apresentação’ … o próprio compositor e intérprete, Clóvis Pinho, não segurou a emoção e desabou a chorar por boa parte da música. Para quem já cantou esta música incontáveis vezes é muito natural que as coisas sigam mais ‘no automático’, mas isso de fato não aconteceu em Fortaleza. Pra completar, no dia seguinte, novamente o PNB subiu ao palco e por uma sugestão minha, desta vez com Priscilla Alcântara para fazer parte do dueto em “Ninguém Explica”, mais uma vez o público foi ao delírio! A química entre os três foi fantástica e já motivou um novo encontro programado para um projeto inédito pela frente.

As bizarrices. Mas nem só de grandes momentos viveu a Expo Evangélica … não mesmo! Houve personagens engraçadíssimos, figuraças, pocket shows de vergonha alheia em nível máximo, figurinos de gosto duvidoso, enfim, como em toda aglomeração, sempre há pessoas que se destacam, para o bem ou para o mal. Citando apenas alguns casos em que fui testemunha ocular … não posso deixar de recordar ( na verdade, preferia apagar a imagem da minha mente, mas enfim …) um jovem dançando coreografias desconexas como se tivesse agarrado um cabo de 3.000 volts, o cara saracoteava pra cá … pra lá … num frenesi muito louco, parecia uma lagartixa com a cauda cortada se esperneando … muito engraçado! Também vi um casal de figurino kitsch ao extremo cantando que nem Jane e Herondi (os antigos saberão do que estou falando), um senhor de nome estranho cantando brega num palco de 3 m2 como se estivesse em plena Villa Mix … uma infinidade de forrozeiros com visuais modernos e as indefectíveis cantoras pentecostais com seus trinados frenéticos, atitude intensa e os mesmos arranjos e músicas que falam de inimigos, perseguição, milagres e coisas do tipo … na verdade, acho que uma feira evangélica sem estes personagens não tem a menor graça! Esta turma faz parte do nosso ambiente e em eventos como a Expo, simplesmente são mais reconhecidos e surgem de todos os cantos. Adoro isto!

Silêncio zero! Definitivamente silêncio não faz parte desta feira. Além do carinho, da enorme quantidade de público, artistas e mídias, outra característica marcante da Expo Evangélica é justamente o barulho intenso não somente pela natural aglomeração de milhares de pessoas num espaço fechado, mas principalmente pelos inúmeros pocket shows que acontecem simultaneamente em diferentes stands com mais ou menos estrutura, mas sempre com muito empenho dos artistas preocupados em ‘vender o seu peixe’. Além dos pequenos palcos, há o espaço de principal atenção de toda a feira, o palco principal do evento onde revezam-se todos os artistas principais das gravadoras apoiadoras ao evento.

O público é um show à parte! Outro destaque desta feira é o público. Analisando os comentários dos artistas nas redes sociais, antes, durante e depois do evento, sem exceção, todos elogiaram e agradeceram muito o carinho do povo. E um detalhe sobre este carinho merece registro, o espírito acolhedor e democrático onde há espaço para todos, pequenos, médios, pop stars, ilustres desconhecidos, para todos sobram selfies, abraços, aplausos e atenção. Nota 10 para o público da Expo Evangélica!

Finalizo este texto exatos 7 dias após ter voltado para casa. Durante toda esta semana os vários artistas que por lá estiveram, seguiram relembrando os dias de grande alegria que usufruíram na Expo Evangélica. E pra quem já quer agendar sua presença em 2018, a data já está definida, a próxima acontecerá de 04 a 07 de julho. Nos vemos lá!

Mauricio Soares, jornalista, publicitário e alguém que um dia espera poder curtir as belas praias do Ceará.

Notícias relacionadas

  • William Lima

    Seguindo e aprendendo, 2018 estaremos ai com certeza, queria que tivesse a Expor Bahia, quem sabe um dia.