SHOPPING CART

Preparado para a Expo Cristã? Veja algumas dicas importantes

Sentado em mais um saguão de aeroporto tentando transformar tempo de espera em conteúdos interessantes. Quem nos acompanha por estes tantos anos sabe que boa parte dos textos foram criados em viagens nacionais e internacionais. Desta vez, estou no Aeroporto de Confins (do Mundo) na região metropolitana de Beagá, retornando de 2 dias intensos na capital mineira. Entre as muitas atividades, tempo especialmente dedicado a participar de mais uma edição do Eagle Festival, evento que se dispõe a descobrir novos talentos da música gospel. Sobre o festival em si, devo escrever mais a respeito nas próximas semanas, por agora fico só com o comentário de que foi mais uma experiência incrível, onde conheci muitas pessoas talentosas de diferentes matizes e estilos. Impressionante como tem gente que canta bem em nossas igrejas! Este é um diferencial, uma marca que nos apresenta e representa, sem dúvida.

Mas quero dedicar estes poucos minutos pra falar de um evento que está às portas. Mais precisamente, que acontecerá de 27 a 30 de setembro, portanto daqui poucos dias. A Expo Cristã como a mitológica Íbis que ressurgiu das cinzas, voltou ao mercado no ano passado como uma grande incógnita, rodeada de muitas dúvidas do mercado e que, mesmo com prognósticos não muito simpáticos, conseguiu surpreender e reafirmar-se como a feira de maior relevância no Brasil e possivelmente, da América Latina. Em 2018, a Expo Cristã muda de local, saindo do Expo Center Norte para o Pavilhão de Eventos do Anhembi em São Paulo e, praticamente dobrou de tamanho em metros quadrados. Neste ano, a feira assume um novo papel deixando de lado o foco exclusivamente de gerador de negócios para incorporar com força o conceito de um evento de entretenimento incluindo shows, palestras, exposições e parque temático. Muito curioso para conferir o que vai rolar por lá.

No entanto, o intuito deste texto não é divulgar a Expo Cristã, mesmo sendo esta de alguma forma minha intenção implícita, mas não foco principal. O meu objetivo nestas próximas linhas é dar apenas algumas simples dicas aos jovens (ou nem tanto) artistas que pretendem estar no evento nos próximos dias. Há muitos anos atrás, escrevi um texto semelhante ao que me dedico agora. Só que as realidades são completamente distintas, ou melhor, não são distintas, são completamente diferentes! Parece que há muitas décadas entre os períodos, mas na verdade, não são mais do que 8 ou 9 anos. E esta mudança colossal deve-se em grande parte às transformações pelas quais o mundo fonográfico passou e vem passando nos últimos tempos.

Participo da Expo Cristã desde sua primeira edição. Talvez eu seja um dos poucos profissionais que tenha essa marca no currículo, ou seja, marcar presença como expositor e apoiador desde a primeira edição da feira. Já tive edições em que transportamos mais de 200 mil discos entre CDs e DVDs … nossa! Que ralação era aquilo! Nosso stand à época tinha quase 400 metros de área, quase um latifúndio! Ao menos naquela época, pra minha sorte não havia Guilherme Boullos e seus terroristas invasores. Alívio! Mas voltando à Expo … neste ano minha bagagem da Expo estará reduzida somente a roupas e produtos de uso pessoal. Nada de caixas, nada de discos, nada de notas fiscais … que maravilha! Ao mesmo tempo, estarei levando comigo mais de 50 milhões de músicas … entendeu a diferença?

Então vamos às dicas …

Em primeiro lugar, se você pretende ir na Expo Cristã para apresentar o seu projeto artístico, o que eu adianto é afirmar, ratificar de que você está tomando a atitude certa! A feira reúne muitas mídias, muitos profissionais do mercado em diferentes áreas de atuação e, claro, gravadoras. Muitos artistas que tempos depois passaram a integrar o cast de gravadoras, foram descobertos ou melhor percebidos a partir de uma Expo Cristã. Lembro-me que numa feira, o então jovem e promissor cantor Eli Soares, se apresentava por horas e horas num stand próximo justamente à minha área de exposição. Ali eu o conheci e fiquei com o refrão de “me ajuda a melhorar” na mente por semanas e semanas. Outro artista que eu conheci numa Expo Cristã, foi Thalles … àquela época era só Thalles … e não Thalles Roberto … me lembro que ele ficou alojado no stand da gravadora que eu dirigia à época por horas e horas devorando as empadinhas … (se ele ler isso vai me matar! Rs) até que eu pudesse sentar e conversar. Meses depois, ele ingressava na gravadora e de lá em diante sabemos de sua história escrita pelo dedo de Deus … Ano passado, por exemplo, quem eu encontro em meio ao corredor da Expo? Nada mais, nada menos do que a Gabriela Sampaio … hoje Gabi Sampaio, artista Sony Music e uma das grandes revelações da música gospel nos últimos tempos. Então, sim! vale a pena demais ir na Expo para conhecer e ser conhecido.

Mas é importante se observar alguns detalhes pra que seu approach se destaque em meio à patuléia presente …

Será que vale a pena levar CDs para apresentar o trabalho?

Depende. Se sua intenção for se apresentar pra mim … a resposta é não! De alguns tempos pra cá desenvolvi uma alergia gravíssima e não posso ter qualquer contato com produtos físicos. Se você quer apresentar seu projeto, basta me marcar em alguma das redes sociais e mandar seu link … mesmo que não eu não consiga fazer uma pesquisa de imediato, costumo com muita calma, persistência e até resiliência, conferir todos os materiais e links que recebo diariamente. Se eu não comento ou não retorno, é porque naquele momento o projeto em questão não me trouxe interesse, não gerou palpitação, não me animou … simples assim. Imagina aí …por dia recebo uns 20 contatos pelas redes sociais de pessoas apresentando seus trabalhos. Se eu respondesse um a um, quanto tempo de meu dia seria dedicado? Muito né? Então, acho que minha postura de responder apenas àqueles que de fato me chamam a atenção é uma boa política. Pelo menos pra mim e pra minha família.

Agora, há ainda gravadoras que recebem CDs e DVDs … nada contra, mas a minha alergia não me permite! Também há mídias que curtem receber esses materiais em vez de arquivos digitais. Aí é questão de gosto mesmo. Então, minha sugestão é de que você tenha alguns produtos físicos para apresentar seu material, seu projeto artístico.

E releases? Fotos? Também vale a pena levar?

Aí eu já acho desperdício mesmo! Até porque as informações que um A&R de gravadora precisa estão todas nas plataformas digitais. Nenhum texto muito bem escrito vai falar melhor de você e seu trabalho do que os números que temos acessos nas próprias plataformas digitais. E pra que você esteja ciente, sabe o que importa bastante hoje em termos de avaliação de um A&R? Número de seguidores em plataformas digitais e redes sociais, número de views no canal do YouTube, número de ouvintes mensais, a forma como o artista lida com as redes sociais, sua agenda de eventos e claro, sua proposta artística. Então, nada de pastas com releases, nada de fotos, nada de caixas, embalagens bonitas … poupe seu dinheiro para investir em outras áreas! Se você quer entregar alguma coisa no contato durante a Expo, falando por mim … opte por chocolates, cupcakes, entrada para os parques de Orlando ou coisas afins.

 Com tantos stands, tantas pessoas, tanta concorrência por atenção, qual a melhor estratégia?

Comece se planejando antes de mais nada! Levando-se em consideração de que a Expo dura 4 dias, o ideal é que você esteja ao menos durante 2 dias para trabalhar com tempo durante a feira. O planejamento consiste em elencar as suas prioridades de contato. Comece pelos contatos mais importantes pra você! Procure a localização no mapa da feira. Tente descobrir a disponibilidade das pessoas que você quer falar, se possível agende um dia e horário ou então, esteja à espreita pra dar o bote numa hora em que o seu objetivo/alvo esteja tranquilo pelo stand. No caso de você buscar um contato com um A&R, seja objetivo na sua apresentação. Demonstre seus pontos fortes, se possível, fale de seus projetos. Enfim, “venda o seu peixe”! Mas, por favor, nada de fazer um pocket show exclusivo para o A&R (não há nada mais constrangedor!) … também nada de pedir para ouvir o trabalho com carinho ou implorar por uma atenção … seja leve! Não force situações! Isso é muito importante que seja compreendido!

Há muitas mídias que não têm stands próprios na Expo. Os profissionais ficam transitando pela feira correndo atrás de uma boa entrevista, um tempo com os artistas. Procure identificar estes profissionais e da mesma forma como na relação e abordagem dos A&R, tente agendar um papo para entrevistas. Se o agendamento não rolar, aí aborde no corredor mesmo, encha-o de materiais de divulgação de seu trabalho, pegue o contato dele para posteriormente você mandar materiais, enfim, mais uma vez, “venda o seu peixe!”.

Sobre as mídias, saiba que artista não escolhe tamanho ou relevância de veículo de comunicação. Não importa se é a Rádio Feliz FM de São Paulo ou uma rádio comunitária do Vale do Jequitinhonha em Minas Gerais. Se é o site Super Gospel ou Guia-me, ou se é um blog do interior do Acre. Se é uma TV aberta ou uma web rádio … neste caso, não se faz acepção de mídias, ou seja, todas têm seu valor e devem se tratadas da melhor forma possível! Em algumas feiras, há serviços de divulgadores para assessorar neste contato com as mídias. Com profissionais de verdade, este é um investimento que vale muito a pena. Mas aí é o caso de selecionar muito a escolha destes profissionais. Infelizmente há muitos contadores de estória nestes eventos. Pesquise muito antes de contratar estes serviços.

Ninguém ou quase ninguém ainda não me conhece, como posso mostrar que sou um artista? Como ser percebido?

Hummm … comece se vestindo como um artista. O figurino para um evento como este deve ser levado muito a sério. Mas, muito cuidado pra não exagerar na mão! Nestas horas o bom senso deve ser considerado. Nem tão simples que passe desapercebido em meio à multidão e nem tão espalhafatoso que chame a atenção de forma negativa. Ao longo de anos e anos de feiras, já tive situações bastante engraçadas e constrangedoras de postulantes ao estrelato que pareciam ter saído da nave do Xou da Xuxa … muito laquê, muito brilho, muitas pedrarias, ombreiras … quase uma instalação artística ambulante … e o resultado, confesso que não foi o melhor.

Os chapéus estilosos que hoje fazem parte de 10 entre 10 bandas … ok, têm seu espaço … as calças rasgadas e jaquetas … ok também … já os sapatos de saltos altíssimos … pra quem aguenta andar por horas e horas sem perder o charme, ok … pode ter seu valor, mas na dúvida, sapatos mais confortáveis são os mais indicados.

Uma dica pra quem quer de alguma forma ser percebida pelo grande público. Chame 2 a 3 amigos … posicione-se bem no meio do corredor em meio à muvuca e aí, com seus amigos promova uma sessão de selfies e fotos … não deixe de tumultuar … em uns 5 a 6 minutos, certamente pessoas que você nunca viu na vida, irão se interessar em tirar uma foto contigo. Isso sempre funciona … pra incrementar um pouco mais sua performance, fale um tom um pouco acima … e mantenha um sorriso permanente tipo propaganda de pasta de dente … nunca falha!

E cantar nos stands, funciona?

A ideia inicial é de que não tenham shows nos stands … mas em se tratando de Expo … tudo é possível. Então, se aparecer algum convite pra você cantar num destes espaços, a palavra é: aproveite ao máximo! Não se importe se as pessoas estarão circulando à sua frente sem parar pra te ouvir … nestes casos, é estratégico que você garanta uma plateia, uma claque … então, mais uma vez, convoque os amigos para se aglomerarem na frente do stand … e todos com cara de êxtase total pela apresentação! Não se esqueçam disso! O importante é que nestes casos, o som esteja razoavelmente agradável … em casos em que o som é péssimo ou ruim … o melhor é não encarar o desafio. Uma péssima primeira impressão nunca ajuda! Na apresentação fale o mínimo possível … apenas cante … no melhor estilo, oi … cantei … tchau!

Tenha em mãos, sempre, cartões de visita, um folder ou algum tipo de material de apresentação. O objetivo destas apresentações é criar oportunidades de agenda, então, esteja sempre preparado.

A Expo Cristã costuma ser o lugar do “Oi, tudo bem?”, afinal são muitos e muitos encontros e reencontros … é uma grande festa e eu particularmente gosto demais deste clima de confraternização mundial … We Are The World … Outra expressão comum demais na feira é “Vamos falar? Você fica até quando? Ah, então vamos marcar!” … o problema é que passa um dia, passam-se dois dias e nada do papo acontecer … aí chega domingo à tarde e você acabou não se reunindo … então, uma dica importante: se de fato você quer conversar com aquela determinada pessoa, arraste-a pra um lugar tranquilo (não imagino onde poderia ser, a Expo é uma Torre de Babel com decibéis no mais alto nível, mas enfim, rs) e já resolva seu assunto de imediato. Protelar a reunião é a pior decisão.

Uma das mais importantes dicas pra você e para todos aqueles que terão contato contigo … Tenha em mãos um estoque de gomas de mascar … afinal, você passará o dia inteiro falando … e aí, as chances daquele hálito não muito agradável se fazer presente são bem grandes! Então, pelo seu bem e dos demais, mantenha-se permanentemente com um chicletinho na bolsa, uma balinha Halls ou algo do tipo. Renovar o desodorante e o perfume também são atitudes sensatas, só não exagere pra que seu cuidado não tenha resultado adverso. Os mais preparados terão sempre à mão uma caixa de lenços umedecidos e muito gel pra higienização … já pararam pra imaginar a quantidade de contatos diários, apertos de mão e abraços?

Participar de uma feira, especialmente a Expo Cristã, é uma experiência muito especial. Falo isso com anos e anos de experiência e tendo participado de grandes eventos no Brasil e no exterior. Todos os artistas que hoje encontram-se em destaque no mundo gospel, tiveram seus dias de andar pelos corredores da Expo … dias de conhecer pessoas … dias de fazer network … e neste ano não será diferente. O piloto comunicou o processo de descida no Rio de Janeiro. Já vou me despedindo de vocês e espero poder encontrá-los nos próximos dias em São Paulo para mais uma Expo Cristã.

 

Até lá!

 

Mauricio Soares, publicitário, jornalista, alguém que ao longo da carreira seguramente recebeu milhares de discos para ouvir com carinho. Felizmente hoje, não tenho mais que regressar pra casa com caixas e mais caixas de discos.   

 

Deixe uma resposta