SHOPPING CART

Quem avisa, amigo é! Procure a ajuda de um especialista antes que seja tarde!

O mercado corporativo, empresarial, é pródigo em expressões, neologismos, novidades. E neste momento, uma das atividades que vem chamando bastante a atenção entre os executivos é a atividade de coaching. Para quem não está muito ambientado com o termo, o coaching é uma espécie de terapia profissional, onde uma pessoa realiza o trabalho de apoio e direcionamento para que o executivo tenha um upgrade em sua carreira. A este profissional, chamamos de coach, que numa tradução livre seria um técnico, um observador.

Venho realizando o trabalho de consultoria artística e de marketing já faz mais de 10 anos. Neste período atendi a empresas querendo se estabelecer no mercado religioso no Brasil. Também atendi jovens cantores querendo um direcionamento sobre o que fazer, para onde ir e todos os detalhes para se alcançar o sucesso em menor tempo. Algumas gravadoras, editoras e mesmo profissionais liberais já utilizaram deste tipo de ajuda neste tempo. Para muitos, estabeleci uma consultoria tradicional de marketing, para outras elaborei um plano estratégico de ações e, agora, percebo também que para algumas pessoas realizei o trabalho de coaching.

Entre as características de um coach posso destacar a importância de saber ouvir. Atuando como uma terapeuta profissional, um coach precisa estar atento aos recados dados por seu interlocutor. Uma queixa, um sonho, uma aptidão, uma expectativa … tudo deve ser devidamente captado pelo coach e analisado em prol de um veredicto, de um direcionamento à carreira do entrevistado. Além de saber ouvir, o coach precisa ter disposição para entender o universo corporativo do profissional em questão. Não há uma fórmula padrão de conselhos, então o coach precisa ter um entendimento bastante atualizado sobre as tendências do mercado, suas peculiaridades, nuances e tudo mais. E isso. Em muitos dos casos só adquire-se através de muito estudo e pesquisas. Portanto, o coach deve ser um profissional em constante aprimoramento técnico e intelectual.

Uma das funções de um processo de coaching é justamente o de avaliar o cenário atual do profissional. Nesta avaliação, diversos aspectos são observados e ao fim de todo o processo, novos caminhos, mudanças de hábitos e posturas, sugestões, transformações, são sugeridas. Particularmente gosto muito de avaliar constantemente minha vida profissional. Acho que sou uma pessoa movida a desafios e talvez por essa característica pessoal, eu tenha encarado tantos projetos mirabolantes em minha carreira. Já assumi gravadoras em bancarrota, selos em formação, artistas novatos, projetos audaciosos, gravadoras inexistentes perante o mercado … tipo os 13 trabalhos de Hercules, entendeu? Vá entender …

Costumo sempre fazer constantes avaliações em meu trabalho. Isso pode acontecer em equipe logo após a uma feira como a Expo. Também após uma produção de um DVD. Ainda por períodos determinados como no fim de ano e no início de um novo período. No lado profissional estou sempre em constante análise na busca da melhoria de minhas atividades e, porque não confessar, em busca de uma maior satisfação pessoal. Uma vez ou outra também paro para analisar minhas questões pessoais. Gosto muito de poder conversar com minha esposa sobre o que traçaremos como objetivos para os próximos anos, meses. Acho super importante sempre termos algum objetivo determinado a se alcançar. Gosto também de conversar com alguns amigos para falar sobre o mercado, nossas vidas, projetos. Neste seleto grupo de uns 4 ou 5 amigos que realmente confio e fico atento às observações, falamos muito sobre o futuro, sobre nossas aposentadorias, sobre um dia termos um negócio próprio em conjunto, enfim, periodicamente reservo-me o direito de simplesmente avaliar e traçar minhas metas pessoais.

Todas estas conversas são uma espécie de exercício de coaching. Acho muito importante que todos, em especial profissionais, exercitem esse processo de coaching. Recentemente alguns amigos do mercado, na verdade jovens profissionais, passaram a me chamar informalmente de coach e vez ou outra me pedem dicas, conselhos, sugestões. Mesmo que na autêntica consultoria ”0800”, procuro sempre atendê-los, orientá-los. Já escrevi nesse blog sobre minha tristeza em não ter tido no início de minha carreira pessoas que pudessem fazer comigo um trabalho de mentorização. E talvez para suprir esse meu trauma, hoje sempre me coloco à disposição da turma para atuar como esse consultor informal.

Sinceramente, acho que os artistas deveriam fazer muito mais esse trabalho de coaching em suas carreiras. Parar tudo e avaliar se estão caminhando por uma rota certa. Se os objetivos para os próximos anos estão definidos. Particularmente me assusto com a falta de planejamento de muitos artistas que seguem cantando aquela música do Zeca Pagodinho … “deixa a vida me levar, vida leva eu “… Vejo muito artista obcecado em comprar um carro, em viajar para Orlando, em comprar uma casa, mas observo que raríssimos são aqueles que se organizam para uma carreira mais abrangente, uma melhor estrutura de gerenciamento de carreira, uma possibilidade de uma carreira internacional.

Fico assustado porque existem certos artistas em nosso meio que necessitam urgentemente de um serviço de coaching para repensar por inteiro suas carreiras e estes seguem se afundando cada vez mais no melhor estilo pré-sal. Há certos artistas que parecem mesmo estarem em franco processo de definhamento! A cada CD lançado mais e mais erros! A cada atitude impensada, mais portas se fechando. A cada dia que se passa, mais isolamento e ostracismo. No entanto, mesmo com todos à volta comentando sua derrocada, com o notório processo de apagar de luzes em sua carreira, com a perda de amigos, com a formação de uma imagem negativa, este artista segue firme, para baixo e avante, sozinho, convicto de que todos estão errados e somente ele está certo!

Acho o ato de conversar, de trocar informações, opiniões, experiências, repensar estratégias, extremamente saudável. Para algumas pessoas, penso que isto passa a ser, fundamental, na verdade, vital para um futuro mais vitorioso. Fica a dica, ressaltando-se que nesse processo, é primordial que se procure alguém realmente experiente e que vá acrescentar algo de qualidade. Por favor, fuja daqueles “teóricos do senso comum e do ‘achismo’”. Procure a ajuda de um profissional!

Mauricio Soares, publicitário, jornalista, blogueiro, especializado em saladas, risotos, churrasco e marketing.

Mauricio Soares, publicitário, jornalista, observador, caixeiro-viajante que morre de saudades de casa, atuando no mercado gospel há alguns anos e confiante de que em algum dia as coisas ficarão mais fáceis para todos nós que militam nestesegmento.

Deixe uma resposta