Repensando os objetivos para 2012 ou contra a Vergonha Alheia e a favor do bom senso!

Nesta semana precisei ficar uns dias em repouso em função de uma gripe fortíssima. Quando já não agüentava mais assistir a filmes, documentários e programas na TV, corria para a internet a fim de me inteirar sobre as novidades.

Fico muito feliz ao entrar nas redes sociais e observar como esse blog tem sido lido e servido como material de consulta e aprendizado. O que realmente começou como uma grande curtição vem tornando-se algo sério e que num futuro não muito distante poderá inclusive virar um livro.

Mas estes dias de repouso e de navegação descompromissada na web foram proveitosos para ler, assistir e meditar sobre alguns temas que poderão servir como texto no Observatório Cristão. Entre assuntos sérios e outros nem tanto, me peguei assistindo alguns vídeos indicados por pessoas nas redes sociais e outros encontrados no meio da web.

O tema deste texto tem a ver com algo que vez ou outra me acomete: VERGONHA ALHEIA. Confesso que morro de constrangimento ao ver que determinada pessoa está fazendo um papel que não a favorece perante uma platéia. A vontade que me dá nestas ocasiões é de sacar uma arma e desintegrar a pessoa para que ela pare de servir de chacota para os outros. E infelizmente, em determinados momentos, se fosse possível esse meu desejo, talvez tornasse-me o próprio Billy The Kid dando saraivadas de tiros desintegrantes a torto e a direito.

Meu dia-a-dia é repleto de reuniões, audições, ligações, decisões, conversas, viagens, ou seja, cada minuto é devidamente valorizado como algo realmente escasso. Mas nem por isso deixo de atender pessoas nas redes sociais, através de emails ou mesmo telefonemas. Se há uma característica que tento manter é minha acessibilidade. Acredito que pelo cargo que ocupo, posso ser considerado uma pessoa relativamente acessível e disponível.

O problema é que grande parte das pessoas não tem um componente em seus DNAs e isso acaba detonando toda a cadeia lógica. Falo da falta de noção de determinadas pessoas, o que num bom português, denominamos de “Sem Noção”. É isso mesmo! Diariamente recebo pelo correio CDs e DVDs de artistas. Além disso, pelas redes sociais quase que diariamente recebo indicações e solicitações do tipo: “se tiver um tempinho, assiste aí …”. E ainda têm aqueles que vêm na empresa sem aviso prévio ou outros que insistem em ter uma reunião “que poderá interessar-lhe muito!”

Posso garantir que grande parte dos produtos que recebo, seja física ou digitalmente, são bem abaixo da crítica. O problema é que o cidadão sonhou em ser artista. Uma irmãzinha de coque na igreja profetizou que ele cantaria nos 4 cantos da Terra. Ou então, que todo mundo de sua família disse que ele tem talento e merece uma chance! Ou seja, embarcam num sonho em que jamais se darão bem! E o ônus de alertá-lo sobre esse absurdo em grande parte recai sobre alguém de gravadora, incluindo esse abnegado blogueiro.

Assistindo uns vídeos do programa Ídolos na web, vi o cantor e compositor Peninha dizer a uma jovem postulante ao estrelato que ela deveria parar por ali mesmo e se poupar de futuras decepções. Com uma sinceridade e principalmente, sensibilidade, Peninha disse-lhe que aquele sonho ela não teria capacidade de alcançar e que quando mais rápido mudasse de objetivos menos problemas e decepções ela teria para si.

E exatamente isso o que tenho a dizer para muitos e muitos que me procuraram nos últimos anos. Não se iluda com um talento que você efetivamente não possui. Não é pelo fato de gostar de cantar que você precisa ser um astro da música. Gostar é uma coisa. Viver com qualidade, fruto de seu talento é outra coisa completamente diferente!

Como já estamos chegando ao fim de mais um ano, normalmente usamos essa época para fazer nossas listas, mudar nossos objetivos, traçar novos planos, enfim, promover um autêntico rebuliço em nossa vida. Que tal você incluir entre seus objetivos para 2012 repensar sua intenção de viver da arte?

Como já mencionei aqui, recebo dezenas e dezenas de CDs. Creio que neste ano, bem mais de mil produtos tenham chegado às minhas mãos e sabe quantos realmente me chamaram a atenção? Uns 2 ou 3, no máximo! Mas não que eu seja um cara exigente ou rabugento, mas sim pela falta de adequação de grande parte dos artistas. É até constrangedor atender uma pessoa na Expo Cristã com seu CD em mãos me pedindo por uma chance na gravadora. Sabe as chances de aquela conversa gerar algum contrato? Zero!

Tenho pilhas de CDs com capas horrorosas que dariam para fazer um Museu do Espanto! Minha sala ainda reúne trabalhos de artistas que não teriam a mínima chance de tocar nem em rádio comunitária! O que não consigo entender é porque um cidadão não se inscreve num concurso de juiz de direito se não tem o segundo grau e sem quaisquer atributos técnicos ou artísticos ele busca um espaço numa gravadora ou mesmo no mercado?

O que quero dizer é que percebo que há muita gente em nosso meio perdendo tempo, dinheiro e transformando sonhos em frustração! Só para ilustrar meu drama, nestes dias recebi um contato pelo twitter de alguém me pedindo meu email. Por DM passei-lhe meu email. Já no dia seguinte recebi uma mensagem. O problema é que tive que ler e reler o texto umas 4 vezes até conseguir decifrar o que aquela pessoa queria me dizer. E o mais incrível é que essa mensagem havia sido enviada por um assessor da cantora! Fui vasculhar a “obra” dessa artista na web e o que vi foram vídeos assustadores, músicas deprimentes e um figurino de arrepiar! Ou seja, mais uma pra galeria dos “Sem Noção”.

Não quero ser um “enterrador de sonhos”, mas que este post sirva como alerta para que em 2012 você realmente repense seus alvos e objetivos com muito bom senso! Se preciso for, converse com amigos, terapeutas, profissionais e veja se realmente vale a pena prosseguir neste projeto. Fica a dica!

 

Mauricio Soares, jornalista, blogueiro, publicitário, consultor e dono de um acervo de mais de mil CDs e DVDs dignos de serem arremessados pela janela. Como meu escritório fica no 40º andar e as janelas não se abrem, acabo colecionando essas “raridades”. Acho que posso ser considerado um daqueles casos de colecionismo compulsivo … preciso de tratamento!

Mauricio Soares, publicitário, jornalista, observador, caixeiro-viajante que morre de saudades de casa, atuando no mercado gospel há alguns anos e confiante de que em algum dia as coisas ficarão mais fáceis para todos nós que militam nestesegmento.

One Comment

Deixe uma resposta