Home Tags Notícias com a(s) tag(s) "Design"

Design

Pouco antes de partir deste mundo, o poeta e tradutor Haroldo de Campos (1929-2003) concedeu sua última entrevista para tv.

Lembro-me muito bem: mal se via a cabeça do velho, que aparecia entrincheirado atrás de pilhas e mais pilhas de livros, fotos, anotações e dicionários.

O ponto culminante do programa foi a explicação que o poeta deu para manter não apenas uma, mas duas salas caóticas, praticamente iguais, repletas de tanta papelada: “Estou traduzindo Homero e Goethe, e eles dois não se dão. Então, pra não me prejudicar, Goethe fica nesta sala e Homero na outra.”

Sim, um cara desses tinha mulher: mas isso é pra outro post.

26 938


Se você tem o desprazer de me seguir no twitter, já deve ter ouvido falar sobre minhas recorrentes idas ao #CCBB, Centro Cultural Banco do Brasil, espécie de enclave europeu no Centro do Rio, onde se encontram as melhores exposições e as pessoas mais estranhamente adoráveis da #CidadeMaravilhosa.

Foi numa dessas idas, em 2008, que revisitei o trabalho da Família Ferrez, numa exposição montada com cerca de 400 fotos, todas elas extraídas de um acervo de 8 mil negativos — acervo que foi doado pela família ao #ArquivoNacional, que tem sua sede no #RiodeJaneiro.

As fotos, boa parte delas do final do século XIX, são de uma beleza indescritível.

O supreendente burburinho diante da capa do cd “Ainda não é o último”, álbum de Resgate que inaugura o projeto gospel da Sony Music, oferece rara oportunidade para comentar sobre aspectos pouco conhecidos do trabalho de criação.

Como assumi a responsabilidade de publicar no site da banda detalhes relativos ao processo que originou o material gráfico, não será neste texto que trataremos de explicações para a escolha da imagem, a escolha do modelo do carro, ou sobre o porquê das fotos terem sido feitas num café. (Sim, posso adiantar que tudo isso tem uma motivação própria, e que nada foi feito por acaso neste trabalho.)

Ninguém esquece: final da Copa do Mundo, de 2002, depois da derrota na Copa anterior, todo o país torcia por mais um título. Fim de jogo: liderado pelo capitão Cafu, um time experiente derrota a poderosa Alemanha e leva mais uma Copa.

É a glória: como capitão do time vencedor, Cafu se prepara para o apogeu de sua carreira.

É a hora de escrever para sempre o seu nome na galeria dos grandes heróis esportivos de todos os tempos.

Naquele momento, 1,1 bilhões de expectadores estavam de olho nele, observando cada gesto do grande campeão.

Intimamente, muitos se perguntavam: “o que ele fará?”

Criará algo emblemático como fez Bellini ao inventar o gesto de erguer a taça em 58?
Será um retrato da elegância como foi Carlos Alberto, na épica conquista do Tri em 70?
Ou preferirá repetir a garra de Dunga, no tetra de 1994?

Agora eu quero falar com você artista gospel, líder de banda, cantor ou cantora.

Quero falar com você que já escolheu o repertório com todo o cuidado, que já tem um produtor à altura das suas pretensões, e que já dedicou tempo e dinheiro ao seu projeto de se lançar — ou de se manter ativo — num mercado cada vez mais competitivo.

Se é verdade que um cd mal gravado, mal mixado, e com músicas ruins comprometerá seriamente o seu sonho de fazer carreira como cantor ou cantora, também pode-se dizer sem nenhuma dúvida que, sem um trabalho gráfico à altura, você vai continuar sendo o talento que ninguém sabe, que ninguém viu e, pior, pelo qual ninguém irá pagar.

Não adianta nada gravar em Abbey Road, em 180 canais, bebendo Água Bling (US$40,00 a garrafa de 750ml) e ao som de uma orquestra de Stradivarius: se você quer que alguém leve o seu cd pra casa, você vai ter que passar no teste da prateleira.

Nos últimos dias muito tem sido comentado no meio gospel tupiniquim sobre o cancelamento “por força maior” (o que é isso? força maior!?!?!?!?) da maior premiação da música gospel nacional, o Troféu Talento realizado desde 1985 pela Rede Aleluia. Mesmo marcado por discordâncias, torcidas contra e a favor de determinados artistas e de ter uma certa aura de dúvida sobre os critérios utilizados, a premiação constava do calendário do meio gospel e tornou-se (sua ausência) a grande decepção deste ano de 2010.
No site oficial do evento a escassez por notícias é tão grande como a falta de chuvas no Deserto do Atacama no Chile. Então para não deixarmos o ano de 2009 passar em branco em termos de premiação e reconhecimento aos artistas, designers, compositores, produtores e arranjadores que se esforçaram por apresentar projetos de qualidade, nós do Blog Observatório Cristão resolvemos criar uma simbólica premiação.
Em antítese ao Troféu Talento que de tão lento ficou parado, pensamos em chamar nossa premiação de Troféu Tá Rápido, mas o nome não soava bem, então optamos pelo nome bem americanizado de Fast Awards … hummm … mas péraí … se é o Blog Observatório Cristão que irá ter esta hercúlea atribuição de coordenar a premiação e como nosso blog se apresenta como um canal didático abordando constantemente o marketing como uma importante ferramenta, como é que podemos não aproveitar esta oportunidade para consolidar ainda mais nossa marca no cenário? Assim sendo, o nome de nossa premiação será Observatório Awards 2010, gostaram? Hummm … ok, podemos pensar em algo melhor, mas por enquanto vamos com esse nome mesmo, ok?
Como este insight foi gerado hoje. Ainda não tivemos tempo para esmiuçar mais detalhes da premiação, mas o que já temos como base é o seguinte:
1) Estaremos premiando os artistas que mais se destacaram em 2009 no meio gospel entre janeiro e dezembro;
2) A primeira fase será livre e completamente democrática (onde isso vai parar?), ou seja, vamos aceitar indicações dos internautas em todas as categorias. Os artistas (5 a 10) mais indicados por categoria irão concorrer na fase final;
3) A fase final será decidida por “notáveis do meio gospel” … quem seriam estes? Anotem aí: o triunvirato do Blog Observatório Cristão e mais jornalistas especializados, produtores musicais, designers, artistas referência e mais um ou outro que não pensamos direito. Essa verdadeira Academia reunirá não mais do que 50 pessoas e terão o poder de decidir os vencedores de cada categoria;
4) Vamos incluir uma categoria Escolha do Público que irá reunir os 10 artistas mais citados em todas as categorias;
5) Teremos 3 tipos de categorias: Música, Web e Designer, Estilo Musical;
5.1) Música composta por: Música do Ano, Intérprete Masculino, Intérprete Feminino, Banda do Ano, Artista Revelação, Vídeo Clipe, Escolha do Público;
5.2) Web & Designer composta por: Material Gráfico CD/DVD, MySpace, Site Oficial, Personalidade Web,
5.3) Estilo Musical composta por: CD Pop, CD Adoração e Louvor, CD Rock, CD World Music e Miscelânea, CD Pentecostal/Sertanejo;
6) Nos próximos dias vamos explicar como iremos receber as indicações do público e demais informações;
7) Aceitamos sugestões, ajuda, oferecimentos … mas nada de marmelada, votos de cabresto e afins, ok?
Contamos com a sua ajuda! Tão logo esta megaultrapower premiação começar seu processo de seleção, envie seus candidatos e divulgue para todos seus contatos. Em breve todas as informações, aguardem!
Postado por Equipe Observatório Cristão

Observatório Awards 2010

Nos últimos dias muito tem sido comentado no meio gospel tupiniquim sobre o cancelamento “por força maior” (o que é isso? força maior!?!?!?!?) da maior premiação da música gospel nacional, o Troféu Talento realizado desde 1985 pela Rede Aleluia. Mesmo marcado por discordâncias, torcidas contra e a favor de determinados artistas e de ter uma certa aura de dúvida sobre os critérios utilizados, a premiação constava do calendário do meio gospel e tornou-se (sua ausência) a grande decepção deste ano de 2010.

No site oficial do evento a escassez por notícias é tão grande como a falta de chuvas no Deserto do Atacama no Chile. Então para não deixarmos o ano de 2009 passar em branco em termos de premiação e reconhecimento aos artistas, designers, compositores, produtores e arranjadores que se esforçaram por apresentar projetos de qualidade, nós do Blog Observatório Cristão resolvemos criar uma simbólica premiação.

Em antítese ao Troféu Talento que de tão lento ficou parado, pensamos em chamar nossa premiação de Troféu Tá Rápido, mas o nome não soava bem, então optamos pelo nome bem americanizado de Fast Awards … hummm … mas péraí … se é o Blog Observatório Cristão que irá ter esta hercúlea atribuição de coordenar a premiação e como nosso blog se apresenta como um canal didático abordando constantemente o marketing como uma importante ferramenta, como é que podemos não aproveitar esta oportunidade para consolidar ainda mais nossa marca no cenário? Assim sendo, o nome de nossa premiação será Observatório Awards 2010, gostaram? Hummm … ok, podemos pensar em algo melhor, mas por enquanto vamos com esse nome mesmo, ok?

Como este insight foi gerado hoje. Ainda não tivemos tempo para esmiuçar mais detalhes da premiação, mas o que já temos como base é o seguinte:

1) Estaremos premiando os artistas que mais se destacaram em 2009 no meio gospel entre janeiro e dezembro;

2) A primeira fase será livre e completamente democrática (onde isso vai parar?), ou seja, vamos aceitar indicações dos internautas em todas as categorias. Os artistas (5 a 10) mais indicados por categoria irão concorrer na fase final;

3) A fase final será decidida por “notáveis do meio gospel” … quem seriam estes? Anotem aí: o triunvirato do Blog Observatório Cristão e mais jornalistas especializados, produtores musicais, designers, artistas referência e mais um ou outro que não pensamos direito. Essa verdadeira Academia reunirá não mais do que 50 pessoas e terão o poder de decidir os vencedores de cada categoria;

4) Vamos incluir uma categoria Escolha do Público que irá reunir os 10 artistas mais citados em todas as categorias;

5) Teremos 3 tipos de categorias: Música, Web e Designer, Estilo Musical;

5.1) Música composta por: Música do Ano, Intérprete Masculino, Intérprete Feminino, Banda do Ano, Artista Revelação, Vídeo Clipe, Escolha do Público;

5.2) Web & Design composta por: Material Gráfico CD/DVD, MySpace, Site Oficial, Personalidade Web,

5.3) Estilo Musical composta por: CD Pop, CD Adoração e Louvor, CD Rock, CD World Music e Miscelânea, CD Pentecostal/Sertanejo;

6) Nos próximos dias vamos explicar como iremos receber as indicações do público e demais informações;

7) Aceitamos sugestões, ajuda, oferecimentos … mas nada de marmelada, votos de cabresto e afins, ok?

Contamos com a sua ajuda! Tão logo esta megaultrapower premiação começar seu processo de seleção, envie seus candidatos e divulgue para todos seus contatos. Em breve todas as informações, aguardem!

Postado por Equipe Observatório Cristão

19 882

Pensando nos que estão começando a se aventurar na carreira de Designer, sugiro uma lista de coisas que você pode fazer para aumentar sua chances de Viver de Design. Prometo volta a estes assuntos no futuro, detalhando cada um destes tópicos:

1. Se você gosta de Design, que tal aprender?

Qualquer atividade humana requer um tempo para capacitação. Pense em quantos anos você precisou pra compreender um texto de Machado de Assis ou uma piada dos Simpsons. Com Design é a mesma coisa: você pode ser um designer melhor a cada dia, esforce-se pra aprender continuamente. Leia, visite exposições, veja bons filmes.

Gaste tempo com isso. Vai valer a pena.

2. Aproveite todas as oportunidades para criar.

Com o mercado repleto de concorrentes, é fundamental que você comece a produzir o mais cedo possível. Não despreze nenhuma oportunidade de trabalho. Aquele painel que a banda do seu tio precisa, ou o convite para o aniversário 4 anos do seu primo são chances de demonstrar sua capacidade profissional. Talvez você não queira fazer, mas fique certo que alguém o fará. Sendo assim, é melhor que seja você. Concorda?

3. Descubra seus pontos fortes.

Designers podem atuar em diferentes segmentos. Projetos de iluminação para shows, criação de embalagens, ilustração, diagramação de revistas e jornais, produção de capas de livros, capas de cds e dvds, identidade visual de pequenas empresas ou de corporações internacionais. Onde houver uma necessidade de aplicação de “arte industrial”, pode haver um profissional de Design. Com tantas possibilidades de trabalho, você deve decidir, baseado em suas características pessoais, quais aa que melhor se relacionam com suas habilidades. Decida-se. E invista no caminho que você escolher.

4. Cuidado com as armadilhas.

Um dos grandes baratos da carreira em Design é poder criar projetos que vão fazer parte da vida de milhões de pessoas. A cor da embalagem daquele famoso shampoo, a forma do carro do ano, a capa do livro que milhares de pessoas vão ler, ou a imagem de uma empresa conhecida em todo o Brasil. Não se deixe enganar: muitas pessoas gostariam de poder viver esta experiência.

E é exatamente aí que a coisa complica: você encontrará estas pessoas em todos os lugares. Seja um cliente que te contrata pra fazer o que ele gostaria de poder fazer, um burocrata poderoso mas frustrado com sua rotina, ou um artista que se casou com alguém que está estudando Design… (muito comum, hein!).

Todos eles se sentirão tentados a palpitar, a mudar o que quer que seja, para que possam incluir naquele projeto o seu traço pessoal. E caberá a você, meu caro amigo, a você, minha cara amiga, defender o projeto dessa saraivada de achismos.

Respire fundo e desenvolva a habilidade para manter um diálogo em alto nível, mas não entre em debates para responder às críticas que envolvem gosto pessoal. Lembre-se disso pra evitar um infarto antes da hora…

5. Saiba quando vale a pena lutar por uma idéia.

É fundamental saber ouvir as pessoas, procurar compreender a cabeça do consumidor de Design. Não despreze a chance de conhecer as opiniões de cada um deles, mas saiba o que você deve ou nâo considerar na hora de mudar ou manter uma decisão técnica. Se você está solidamente fundamentado, nâo se deixe vencer tão facilmente. Afinal, você criou para o cliente dele, você não cria pra si mesmo. Se o céu tem que estar azul porque a capa apresenta “uma mensagem positiva, pra cima”, ou porque “o tema religioso remete às imagens do Paraíso”, diga isso claramente. Esqueça a idéia de responder a comentários como “eu queria a minha capa igual ao daquela cantora”, ou ainda um “eu esperava algo diferente, sei lá, não vibrei”. Lembre-se sempre de que você é Designer. Não é psicólogo e nem animador de festa.

6. Conheça quais são as opiniões que importam.

Ouça quem conhece: se você estiver no caminho certo, eles vão te entender.

Mas não tenha ilusões: reconheça que você pode sempre fazer um segundo projeto se for preciso, e seja paciente com as críticas negativas. Lembre-se também de mais isso: você está condenado a viver da aceitação daqueles que te compreendem. Portanto, saiba escolher cada uma dessas pessoas cuidadosamente. Jamais queira ser uma unanimidade.

Esteja apto a mudar se for necessário, mas não cometa o erro primário de se despersonalizar: será fatal.

7. Seja você mesmo

Um cantor brasileiro começou sua carreira imitando o genial João Gilberto, a certa altura alguém lhe disse: “sabe, você canta igual ao João Gilberto, o problema é que nós já temos o João…” O cantor mudou, passou e a ser ele mesmo e seu talento logo foi reconhecido. Seu nome: Roberto Carlos.

Em Design, muito já se fez, talvez “tudo”. Mas mesmo assim, é possível ter uma cara própria, só sua.

Todos os movimentos revolucionários nas artes visuais sempre se relacionaram com o que veio antes. E mesmo assim representaram rupturas com a produção realizada no momento em que nasceram.

Jamais caia na tentação de ser uma cópia de quem quer que seja. Grandes profissionais perderam a credibilidade porque copiaram descaradamente projetos de outros colegas — dá vontade de citar aqui um monte de nomes, mas é melhor não começar…

Escolha um caminho seu, uma linguagem própria, e siga em frente. com o tempo, tudo vai dar certo.

Perca tudo, menos a sua credibilidade profissional.

Carlos André Gomes é Designer Gráfico e não distorce uma letra desde 1992.