Home Mercado Fonográfico VAMOS FALAR DO QUE INTERESSA!

VAMOS FALAR DO QUE INTERESSA!

0 326

É impressionante como nos tornamos reféns de algumas tecnologias. Para quem começou a trabalhar na era do Telex, depois do fax e dos e-mails, ter que lidar com o whatsapp e vê-lo substituir o próprio telefone e o correio eletrônico, é algo incrível. Começo escrevendo este texto justamente porque neste momento a equipe de IT da empresa em que trabalho resolveu sequestrar meu aparelho celular para back up e mudança de equipamento. Com isso, já estou faz 2 horas sem ter acesso ao whatsapp e de repente me vejo completamente de mãos atadas, sem ter como me comunicar com o mundo exterior como se estivesse em meio à floresta Amazônica, sem sinal de celular ou coisas do tipo. E como tenho tido pouco tempo para escrever os textos para o blog, vou aproveitar o fim de tarde de um dia espetacularmente bonito e iluminado no Rio de Janeiro para escrever este texto.

Aproveitando este momento de isolamento whatsappiano comecei a pesquisar alguns sites de artistas e alguns perfis das plataformas digitais, especialmente o Deezer e Spotify. Fiz um exercício de busca, análise e considerações. Primeiro listei alguns dos principais nomes do meio artístico gospel. Depois selecionei alguns outros artistas que estão em fase de desenvolvimento de carreira, gente jovem que ainda está buscando seu espaço no mainstream e por fim, alguns dos medalhões de nosso circuito artístico, personagens com 20 ou mais anos de estrada. No fim, listei 38 nomes e pacientemente fui visitando cada um dos seus perfis e sites oficiais. Ressalte-se não foquei em redes sociais! Meu objetivo foi basicamente as páginas oficiais e os perfis nas plataformas. E o resultado foi desolador … eu diria que foi decepcionante, frustrante, assustador!

Em quase 80% dos sites, a sensação de poeira e abandono ficou latente! Muito mesmo … não sei se pela proximidade do Halloween a impressão que tive é que os sites oficiais destes artistas estavam tão cheios de teias de aranhas (isso é uma força de expressão, por favor, hein!?!?!) que mais se assemelhavam a um site mal assombrado ou coisa que o valha! O mais comum nestes sites era o espaço de agendas completamente desatualizado com eventos que remetiam a longínquos 6 a 12 meses atrás (uma simples ferramenta resolveria esta parte!). Ou ainda, a biografias que descreviam o que aconteceu até, no máximo, 3 anos atrás, ou seja, praticamente como se nada houvesse acontecido de 2014 em diante … e as Galerias de Fotos? Tudo bem que algumas cantoras queiram manter uma imagem de jovialidade, mas manter fotos dos 30 anos de idade quando se está beirando os 50 anos é forçar um pouco demais a barra, ou não?

Na lista de sites sem atenção frequente, destaque para os telefones de contato que não foram atualizados e para a ausência de imagens dos novos projetos do artista. Ou seja, normalmente o visual do site oficial do artista deve estar 100% de acordo com o projeto visual do último trabalho lançado. Há uma necessidade de que a comunicação visual do artista esteja padronizada com o seu projeto atual, isso é mais básico do que aluno de comunicação ler Philip Kotler. Praticamente nenhum artista gospel segue esta regra à risca!

Geralmente quando um artista decide criar seu site ou atualizar toda a proposta do site atual, ele sai listando uma série de ferramentas, caminhos, informações, conteúdos. Lembro-me que antigamente os sites de alguns artistas acabam tornando-se verdadeiros mastodontes, uns negócios gigantes, quase portais de tanto conteúdo e informações. Com o tempo o mercado foi percebendo que neste caso de sites, o menos era o melhor, a síntese das informações era primordial e que aquele espaço deveria informar, mas não necessariamente entregar tudo, atender a todas as demandas, suprir todas as necessidades. Então, partiu-se para uma tendência de atender ao mínimo de informações e direcionar as pessoas que quisessem algo mais, a buscar o contato personalizado, direto, específico.

De forma bem direta, um site de artistas precisa basicamente do mesmo mix de informações, a saber: Biografia, Agenda, Contatos, Links aos perfis das plataformas de áudio/ vídeo streaming e redes sociais. Nada além disso! Todo o mais pode ser transferido para outros canais de informação, especialmente as redes sociais, especialmente a fanpage do artista. A discografia, por exemplo, já é uma informação que se encontra nas plataformas de áudio streaming, portanto não precisa estar no site oficial do artista. Galeria de Fotos é outra questão que tornou-se obsoleta em se tratando de sites, afinal, quer melhor galeria de imagens do que o Instagram? E pra que Galeria de Vídeos se temos o canal do artista no YouTube ou VEVO?

Muitas empresas e artistas optaram em concentrar suas informações institucionais no Facebook. De fato, esta foi uma forte tendência do mercado nos últimos 5 anos em especial. Só que mais recentemente todos perceberam a importância de terem seus espaços 100% controlados, independentes, onde podem comunicar-se e informar sem que necessitem pagar ou impulsionar seus conteúdos. Então, é muito importante que todos os artistas voltem sua atenção para os sites oficiais e que mantenham este espaço sempre atualizado e o mais enxuto possível, justamente para não tornar um peso extra de atenção.

Voltando à minha pesquisa, percebi que 90% dos artistas não ofereciam link de acesso às plataformas digitais de consumo de música e mais de 60% destes sites destacavam o produto físico, CD/DVD/Playback como se ainda estivéssemos em pleno anos 2000. Ou seja, não adianta ir para as redes sociais dizendo que está antenado nas novidades e tendências digitais se o seu site oficial segue divulgando os produtos físicos. Olha a coerência aí pessoal, por favor, hein!?!?!?

Muitos artistas criam seus sites, simplesmente porque ‘todo artista precisa ter’ um site ou porque precisa divulgar o seu contato para convites. Basicamente por isso. No entanto, o principal objetivo do site é ser um canal de informação, contato e relacionamento. Um dos sites pesquisados fui positivamente surpreendido por um Pop Up (aquelas janelas que surgem no meio da tela para interação) agradecendo pela visita e me estimulando a preencher um pequeno cadastro para que a partir daí eu fosse notificado por shows daquela artista em minha cidade ou região, lançamentos e todas as novidades. Achei ótima aquela ação, mesmo entendendo que não há nada de tão criativo, apenas por de fato ter sido colocado em prática. Pois bem, este tipo de atitude, criando cadastros de fãs ou afins, é algo extremamente importante neste momento de contato direto com consumidores. E, sem dúvida, o site é um importante canal de contato e aquisição de cadastros.

A questão das agendas nos sites também me chamou a atenção. Há artistas onde este espaço está em 2016 … atualização zero! Há outros em que o artista coloca na agenda até o chá de bebê da cunhada ou o culto de oração na casa da Irmã Zuleika … e há aqueles que colocam simplesmente a data e a cidade em que estarão, no melhor estilo: “Tô cansado demais pra escrever a informação completa, assim tá bom!” Ou seja, informar que no dia 18 de outubro o artista estará em São Paulo é mais ou menos como você combinar com seu amigo que estará na Praia de Copacabana no primeiro sábado do verão, ou seja, as chances de vocês se encontrarem beiram o nível zero! Se é pra informar, que seja com os dados completos, nome do evento, cidade, endereço, horário, tipo do evento, no caso de eventos ingressados … incluir o local de venda de ingressos. Ou seja, a informação completa! Simples assim.

Então, espero que numa próxima pesquisa me depare com sites mais atualizados, com estética agradável e moderna, com informações atualizadas, navegação simples e leve, ou seja, que eles sejam tratados com o devido respeito que merecem.

P.S. – Nos próximos dias será lançada a campanha #VemProStreaming promovida por 7 gravadoras de nosso segmento. Fique atento e participe conosco se engajando, divulgando e principalmente consumindo música através dos apps de áudio streaming.

Mauricio Soares, pai, jornalista, publicitário, editor do blog Observatório Cristão.

Notícias relacionadas

0 489