SHOPPING CART

Vocação é bem mais do que carisma ou talento!

Horas antes de começar a gravação do DVD da cantora Damares realizado no dia 22 de outubro na belíssima cidade de São Sebastião, fui convidado juntamente com a própria artista e a cantora Brenda a participar do Café da Manhã de Pastores da região. O evento contou com a presença do Prefeito da cidade, vários secretários de diferentes áreas da Prefeitura, cerca de 150 pastores e a mídia local. Quando cheguei acompanhado da Damares e seu esposo, Brenda já tinha se apresentado e naquele momento começava a palavra do Pr. Carlos Alberto Bezerra, fundador da Comunidade da Graça em São Paulo, autor de livros, palestrante, entre outras atribuições.

Com minha cabeça totalmente voltada para a gravação e não querendo tirar o foco da cantora que logo mais faria um projeto grandioso, fiquei apreensivo ao ver que a palestra estaria naquele momento apenas começando. Sentei-me e passei a ouvir a mensagem, mas confesso, que meu foco naquele instante era apenas correr para o local de gravação e ver os últimos detalhes. A cantora Damares e seu esposo sentaram-se na fileira de poltronas à minha frente. Já imaginava que mais uns minutos ela me perguntaria se poderíamos ir embora, afinal a prioridade naquele dia seria a gravação do DVD.

O Pastor Carlos Alberto é uma daquelas pessoas que nos conquista em pouquíssimos momentos de conversa. De fala mansa, raciocínio rápido e eloquente, estávamos de frente a um pregador diferente do que vemos nos dias de hoje com tantos chavões, gritos, sacudir de braços e pernas, frases de efeito e coisas do tipo. Ao perceber que a dupla à minha frente estava ouvindo atentamente à palavra, resolvi relaxar e curtir cada momento daquela palestra.

Num determinado instante, o palestrante contou a história da ordenação de um jovem pastor. O seu pai, empresário bem sucedido comentou com o Pastor Carlos Alberto que preferiria que seu filho seguisse uma outra carreira que não a de pastor. Disse que vislumbrava uma vida diferente para ele com muito mais conforto e segurança econômica. O Pastor ouviu as lamúrias paternais e disse que realmente a vida de um pastor, de um cristão em geral, não é de facilidades, mas sim de perseguições, dificuldades, tristezas e decepções e que deveríamos compreender esta situação. Esta ilustração serviu para que o preletor pudesse falar aos ouvintes, em sua grande maioria, pastores e líderes, sobre a verdadeira vocação do pastor.

Naquele momento percebi o cuidado de Deus sobre a minha vida e da Damares, em especial. Precisávamos parar todos os nossos afazeres para ouvir justamente aquela mensagem. Precisamos deixar toda a insegurança, ansiedade, preocupações e incertezas para ouvir uma Palavra que nos traria paz, segurança, confiança e certeza da vitória. O Pastor deu vários exemplos sobre a verdadeira vocação do líder cristão. Sobre quais as características do líder vocacionado e, ainda, quais as responsabilidades à frente de seu rebanho.

Na mesma hora comecei a fazer um paralelo entre a vocação de um líder religioso para a vocação de um artista cristão. E é a partir desta comparação que gostaria de dissecar um pouco mais sobre o tema do post de hoje. Começo com uma indagação: “Você realmente tem noção do que é ser vocacionado para ser um artista cristão?”

Um artista cristão deve ter vocação para trabalhar! Afinal temos toda uma nação para apresentar a Palavra de Deus, não é mesmo? Se você não tem disposição para viajar quilômetros e mais quilômetros, seja de avião, balsa, teco-teco, Kombi, ônibus, bicicleta ou de cantar para 10, 15 pessoas numa igreja pequena de periferia, então você não está vocacionado a seguir nesta estrada. Principalmente artistas iniciantes devem entender que há trabalho todo o dia e ele deve ser enfrentado com galhardia! Artista que escolhe evento para poupar seu corpinho do cansaço, efetivamente não tem vocação para a maratona artística!

Um artista cristão deve ter vocação para falar com pessoas! Se você é daquele tipo que tem alergia em falar com pessoas porque imagina que pode pegar uma doença ou coisas do gênero, não poderá ser um artista. O artista, seja ele cristão ou não, tem que se relacionar com pessoas. Tem que tirar fotos, tem que atender as pessoas, mesmo que após 3 horas de evento! Tem que ser acessível, ainda mais em tempo de redes sociais. Tem que ser educado, solícito, simpático e tudo isso, de forma o mais natural possível! Se você é daquele que gosta de subir no palco e mostrar-se simpático, mas ao fim do evento, sai correndo para o camarim ou para a van que já o aguarda de motor ligado prestes a zarpar, então você não tem vocação para ser artista. Que tal tentar uma carreira de analista de pesquisas trancafiado numa sala hermeticamente fechada por 8 horas diárias?

Um artista cristão deve ter vocação para trabalhar na sua comunidade local! Se você pretende ganhar as nações, ser um cantor com compromissos no Gabão, no Principado de Mônaco, nos Estados Unidos ou na Argentina, ou ainda, viver na rotina estressante de vôos e aeroportos, mas não dá tempo para sua igreja local, então fique alerta! Certamente você não tem vocação para ser um artista cristão. Afinal, antes de ser um super astro pop incensado pelas multidões, você deve dedicar tempo, atenção e seu talento para sua igreja local, para sua comunidade.

Um artista cristão deve ter vocação para se sujeitar ao seu líder! Assim como não existe ser apolítico, não há pessoa equilibrada sem liderança, sem exemplos, sem mentores. No nosso caso específico, não há ovelha sem pastor. Se você é um artista que pretende dar suas saracoteadas pelo planeta sem a cobertura ou a liderança de um pastor, então saiba que você não tem vocação para ser um artista cristão. Porque um verdadeiro e vocacionado artista cristão deve saber se sujeitar aos ‘puxões de orelha’, conselhos e acertos de rota propostos por seu líder que o conhece intimamente. Fala Jeová!

Um artista cristão deve ter vocação para entender que a glória é só dEle! Muito além do discurso evangelicamente correto onde o artista grita com o peito cheio de orgulho que sua maior qualidade é ser humilde e que toda a honra e glória devem ser dadas a Deus!!!! Amém igreja?!?!?!?! Saiba que o talento foi dom dado por Deus! Saiba também que sua existência é uma vontade do Criador Supremo. Ou ainda, que basta um simples querer de Deus para que suas habilidades que você tanto fica gabando-se simplesmente desapareçam (…) então, deixe de lado sua arrogância, auto-suficiência e, num bom e surrado português, toda esta sua marra de pop star e saiba que seu talento e dons são única e exclusivamente para honrar o nome daquele que é único e digno de toda glória! A partir do momento em que você subir num palco e achar que os gritos, apupos e palmas são todos para você, saiba que você está dando uma prova cabal de que sua vocação é para ser um artista, mas não um para um artista cristão!

Um artista cristão deve ter uma vida espiritual sólida e consistente! Parece até óbvio demais, mas achei importante ressaltar e deixar essa característica no fim deste texto. Por mais incrível e surreal que possa parecer, existem vários artistas viajando de norte a sul pelo nosso país que há muito tempo não investem tempo em oração, comunhão ou mesmo na leitura da Bíblia. Nos púlpitos e palanques pelo país já tive a triste experiência de ver artistas contando piadas infames e sujas minutos antes de ministrarem e no momento em que eram chamados, transfiguravam-se em santarrões enganando as multidões. O crescimento da igreja evangélica em nosso país vem sendo acompanhado de muitas mazelas e uma que vem atingido o meio artístico gospel é justamente a ausência de espiritualidade. Temos casos constatados de artistas saindo para baladas em boates após participarem de cultos, ou ainda de artistas envolvidos em adultério, bebedeira, mentiras e outros escândalos como se isso fosse algo tranquilo.

Relembrando o que o Pastor Carlos Alberto Bezerra mencionou em sua deliciosa palestra numa manhã de sábado no Teatro Municipal em São Sebastião, ser um líder vocacionado é saber que há um alvo maior a ser alcançado. É saber que problemas, perseguições e tristezas farão parte do nosso dia a dia, mas que a recompensa maior é aquela que o Senhor Jesus nos concede, sua graça e salvação. Ser um artista cristão vocacionado é trabalhar muito, é estar debaixo da liderança de um pastor, é entender que a glória é só do Senhor, é ter uma vida reta perante os olhos de Deus. Não é algo fácil, é verdade! Então antes de você sonhar com os palcos, com as viagens, com as finanças, avalie seriamente se você tem esta vocação para seguir neste caminho.

É importante ressaltar que estes aspectos têm a ver com vocação e não com talento ou carisma! E mais, estamos falando de um artista cristão, não de um artista popular! Penso, já chegando ao fim deste texto, que se tivesse um pouco mais de tempo poderia até discorrer sobre mais alguns aspectos deste tema, mas vou terminando por aqui. Também quero deixar claro que não quero fazer nenhum juízo de valor sobre qualquer pessoa, mais do que qualquer outra pessoa, este texto se aplica a mim mesmo com suas devidas adaptações. Boa semana!

Mauricio Soares, pai, atleta de fim de semana, executivo, alguém que gosta de pessoas, que procura atender a todos com máxima atenção, um ser prático e que com o avançar da idade, alguém que detesta constatar discurso diferente da prática cotidiana.

Mauricio Soares, publicitário, jornalista, observador, caixeiro-viajante que morre de saudades de casa, atuando no mercado gospel há alguns anos e confiante de que em algum dia as coisas ficarão mais fáceis para todos nós que militam nestesegmento.

Deixe uma resposta